Novo líder do Opus Dei tem "Portugal na mente e no coração"

Monsenhor Fernando Ocáriz era o braço direito de Javier Echevarría, que morreu a 12 de dezembro, e foi eleito logo no primeiro dia da votação. Neste ano visitará Fátima

O novo líder do Opus Dei, Fernando Ocáriz, tem sido visita frequente a Portugal, pois sempre acompanhou Javier Echevarría, o seu antecessor, quando este se deslocou ao nosso país. Afinal, era o braço direito do homem que liderou a instituição entre abril de 1994 até à sua morte em dezembro do ano passado. A sua eleição, no início da semana, como o quarto chefe desta organização católica, representa uma continuidade de ação.

O vigário José Rafael Espírito Santo, um dos seis portugueses que se participaram no congresso eletivo, em Roma, já disse que é desejo do novo prelado "ir a Fátima neste ano colocar aos pés de Nossa Senhora as suas intenções".

A data da visita ainda não está marcada, mas Manuel Sánchez, diretor do departamento de comunicação do Opus Dei, em Roma, disse ao DN que Fernando Ocáriz tem "Portugal na mente e no coração". O padre, que até à eleição era o vigário auxiliar, é o terceiro sucessor de S. Josemaría à frente da prelatura, depois do falecimento de Javier Echevarría, a 12 de dezembro.

O representante máximo do Opus Dei em Portugal, José Rafael, mostra-se satisfeito com a escolha. "Agradeço a Deus que nos deu este novo pastor e rezo, e apelo a que se reze, para que sirva a Igreja, o Papa Francisco e as dioceses com a mesma entrega e fé de D. Javier, do Beato Álvaro e de S. Josemaría, seus antecessores.

Fernando Ocáriz (72 anos) é descrito como um teórico, um pensador, com obra publicada mas também com ação prática, sobretudo nos primeiros anos de sacerdócio. Foi ordenado padre em 1971 e dedicou-se à pastoral juvenil e universitária. Na década de 1980 foi um dos padres fundadores da Universidade Pontifícia da Santa Cruz, em Roma, onde era professor de Teologia Fundamental.

O cardeal Christoph Schönborn, arcebispo de Viena (Áustria), sublinhou o trabalho na Congregação para a Doutrina da Fé, elogiando o seu contributo para a reflexão teológica. "É um prelado pensador com grande capacidade de discernimento e de diálogo. Além disso, é um pastor das almas, que deposita toda a sua paixão na missão pastoral, promove a unidade com o Papa e com a doutrina da Igreja. Tenho um grande apreço pela sua prudência, afabilidade e equilíbrio."

O congresso eletivo teve início na segunda-feira de manhã e, à tarde, o Papa Francisco confirmou a eleição do novo dirigente. Um dia depois, monsenhor Fernando Ocáriz disse à comunicação social estar "sereno e tranquilo" com a nomeação, justificando: "Se Deus quis isto, ele me dará a ajuda necessária para levar a tarefa por diante, através da oração dos fiéis da prelatura e de tantos amigos."
Elegeu como desafios para os próximos anos, os "mesmos que se colocam aos cristãos nos dias de hoje", referindo-se concretamente aos "jovens, à família, à luta contra a pobreza e aos doentes". E mostrou-se em total sintonia com o Papa Francisco.

Espanhol exilado em França

Fernando Ocáriz é filho de uma família espanhola, o mais novo de oito irmãos. Mas nasceu em Paris a 27 de outubro de 1944, para onde foram exilados aquando da Guerra Civil. É licenciado em Ciências Físicas pela Universidade de Barcelona (1966) e em Teologia pela Pontifícia Universidade Lateranense (1969). Doutorou-se em Teologia em 1971 pela Universidade de Navarra, ano em que foi ordenado sacerdote. É consultor da Congregação para a Doutrina da Fé desde 1986, da Congregação para o Clero desde 2003 e do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização desde 2011. Em 1989 ingressou na Academia Pontifícia de Teologia.

Entre as obras publicadas, destacam-se livros sobre o cristianismo, como The Mystery of Jesus Christ: a Christology and Soteriology; Hijos de Dios en Cristo ; de índole teológica e filosófica, por exemplo, Natureza, Graça e Glória, com prefácio do cardeal Ratzinger. Tem, ainda, dois estudos de filosofia: Marxismo: teoria e prática de uma revolução e Voltaire: tratado sobre a tolerância.

Monsenhor Fernando Ocáriz dedicou esta semana à escolha da nova equipa, cujos nomes têm vindo a ser anunciados. Tem como braços direitos monsenhor Mariano Fazio (Buenos Aires), vigário-geral, e o padre Antoni Pujals i Ginebreda (Terrassa), vigário secretário central, que foi delegado da prelatura de Catalunha entre 2002 e 2016.

Mais Notícias