Novo estudo. Variantes Delta e Delta Plus resistentes a alguns anticorpos

Variantes Delta e Delta Plus infetam as células pulmonares com mais eficácia do que o vírus original.

O German Primate Center - Leibniz Institute for Primate Research de Göttingen, em parceria com a Faculdade de Medicina de Hannover, o Centro Médico da Universidade de Göttingen e a Universidade Friedrich-Alexander de Erlangen-Nürnberg, analisaram a razão pela qual a variante Delta se propaga mais e se a variante Delta Plus é mais perigosa.

De acordo com o jornal espanhol El Mundo, estes investigadores chegaram à conclusão que as variantes Delta e Delta Plus infetam as células pulmonares com mais eficácia que o vírus original. O trabalho destes cientistas foi publicado na revista Cell Reports.

O grupo de investigadores descobriu ainda que um dos quatro anticorpos usados para tratar a covid-19 não se mostrou eficaz contra as variantes Delta e Delta Plus, tendo-se mostrado mesmo resistente a dois anticorpos teurapêuticos.

Ainda segundo o El Mundo, esta investigação mostrou que os anticorpos gerados pela vacinação com as vacinas Pfizer e AstraZeneca foram menos eficazes contra as variantes Delta e Delta Plus em comparação com o vírus original.

Foi ainda descoberto que as pessoas vacinadas primeiro com a vacina da AstraZeneca e depois da Pfizer apresentavam mais anticorpos contra a variante Delta do que quem tinha sido vacinado com duas doses da AstraZeneca.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG