Nove pessoas morreram afogadas nas praias portuguesas

Este verão, os nadadores-salvadores fizeram 1073 intervenções e também 29 buscas "com sucesso" a crianças perdidas na praia

A Autoridade Marítima Nacional referiu hoje, em comunicado, que morreram 11 pessoas nas praias marítimas e fluviais vigiadas e não vigiadas entre 01 de maio e 31 de agosto. Nove pessoas morreram por afogamento, enquanto outras duas sofreram morte súbita.

Segundo o comunicado, nas praias marítimas vigiadas morreram três pessoas de nacionalidade portuguesa, uma por afogamento e duas por morte súbita.

Nas zonas marítimas não vigiadas, morreram cinco pessoas, todas por afogamento, três de nacionalidade portuguesa, uma francesa e outra suíça.

Uma pessoa, de nacionalidade portuguesa, morreu numa praia fluvial vigiada, enquanto outras duas, também portuguesas, morreram em praias fluviais não vigiadas.

Durante aquele período, nas praias vigiadas e com planos integrados implementados, os nadadores-salvadores fizeram 1073 intervenções e também 29 buscas "com sucesso" a crianças perdidas na praia, acrescenta o comunicado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG