Nave de carga desintegra-se a caminho da Estação Espacial

A maior parte dos fragmentos da nave foram consumidos na densa atmosfera sobre uma zona remota, montanhosa e sem população da República de Tyva, diz a Roscosmos

A agência espacial russa anunciou hoje que perdeu o contacto com uma nave de carga não tripulada que ia reabastecer a Estação Espacial Internacional, logo após ter sido lançada do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. A Roscosmos diz que a nave se desintegrou poucos minutos depois do lançamento.

"Perdemos o contacto 383 segundos após a descolagem do lançador Soyuz com a nave espacial de carga Progress MS-04", anunciou a Roscosmos num comunicado, acrescentando que os especialistas estão a tentar perceber a origem do problema.

"Segundo informação preliminar, a contingência ocorreu a uma altitude de 190 km sobre uma zona remota, montanhosa e sem população da República de Tyva. A maior parte dos fragmentos da nave foi consumida na densa atmosfera."

A Progress MS-04, que transportava uma carga de cerca de 2,4 toneladas de água, alimentação, combustível e equipamento para a Estação Espacial Internacional (EEI) tinha chegada prevista para as 16:43 GMT de sábado (mesma hora em Lisboa).

Em abril de 2015, a perda de uma nave Progress provocou uma profunda crise na indústria espacial russa, levando a Rússia a suspender todos os seus voos espaciais durante cerca de três meses.

A nave de carga perdeu o contacto com a Terra antes de se desintegrar na atmosfera. O falhanço, que os russos atribuíram a uma avaria no lançador Soyuz, obrigou um grupo de astronautas a passar mais um mês a bordo da estação de pesquisa espacial.

A atual equipa da EEI é constituída pelo francês Thomas Pesquet, os norte-americanos Peggy Whitson e Shane Kimbroughet, bem como os russos Oleg Novitski, Serguei Ryjikov e Andrei Borissenko.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG