Não deite fora o fio dentário. Estas são as razões pelas quais deve manter este hábito

Benefícios podem ser mais relevantes que eventuais perigos

Ainda que suportado por provas científicas "fracas, pouco sólidas" e de "baixa qualidade", como disse recentemente um artigo da AP, o hábito de passar fio dentário deve ser mantido. É esta a opinião da Ordem dos Médicos Dentistas portuguesa que, ao contrário do que concluiu a investigação da AP, reconhece neste método de higiene um importante passo para a remoção dos resíduos alimentares responsáveis pelo aparecimento de cáries e doenças na gengiva.

O mais recente Dietary Guidelines for Americans - boletim com recomendações para promoção da saúde emitido, em junho, pelo governo norte-americano - não incluiu, por isso, um conselho de há quase quarenta: passe fio dentário todos os dias. Questionadas pela AP, as autoridades de saúde norte-americanas reconheceram que "a eficácia [desse hábito] nunca foi sequer investigada".

A imprensa fez eco deste artigo, sem reconhecer que não ter fundamentação científica não significa automaticamente ser inútil, salienta o site Quartz.

De facto, de acordo com o Snopes (um site dedicado à desconstrução de rumores), a investigação da eficácia do fio dentário seria quase impossível. Para tal, seriam necessários dois grupos de participantes: um de utilizadores de fio dentário e outro de não utilizadores. Este último teria, no entanto, de evitar este uso durante vários anos, o que nem seria ético nem cientificamente correto. Além de tudo, os cientistas seriam incapazes de controlar as demais variáveis e... as pessoas tendem a mentir acerca deste hábito de higiene oral (pelo menos nos Estados Unidos.)

O organismo governamental responsável pelo referido boletim não pode - face à ausência de conclusões científicas - recomendar o hábito, mesmo que a maioria dos especialistas continue a fazê-lo e a acreditar nos seus benefícios.

Em Portugal, a Ordem dos Médicos Dentistas continua a aconselhar a "higienização dos espaços interdentários com fita dentária", segundo confirmou ao DN, tal como o Direção Geral da Saúde (DGS) - a utilização de fio dentário é um dos pontos do Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral de 2005 e objeto de vários folhetos.

De acordo com a DGS, o uso de fio dentário complementa a escovagem dos dentes e tem como principal propósito a eliminação de placa bacteriana que se acumula nos espaços entre os dentes onde a escova não chega. Este tipo de higienização deve ser começada por volta dos nove anos de idade.

A AP referira, no entanto, que a prática descuidada deste hábito pode danificar as gengivas e os dentes e que, usado com maior frequência, o fio dentário pode forçar a deslocação de bactérias para a corrente sanguínea, causando infeções perigosas.

De acordo com a Cochrane Library, centro de investigação na área da saúde, "o uso de fita dentária deve acompanhar a escovagem dos dentes, já que dele resultam importantes benefícios mais relevantes que qualquer potencial perigo."

Mais Notícias