Mudar de vida? Hoagland foi Symansky durante 20 anos

Americano disse à primeira mulher que estava a ser procurado pela polícia pelo desvio de milhões de dólares antes de assumir uma vida completamente nova

Nas últimas duas décadas, Richard Hoagland tem sido (ou fingido ser) Terry Jude Symansky, um homem que se afogou em 1991. Hoagland abandonou a sua primeira esposa e os seus quatro filhos e reinventou-se.

Hoagland, que, desde então, tinha estado a viver em Pasco County, Florida, com a sua nova mulher e filho adolescente, foi detido, esta quarta-feira, por "roubo de identidade". Um sobrinho do verdadeiro Symansky destrui o esquema que lhe permitira ter uma nova vida.

Uma simples pesquisa na internet fez cair a construção dos últimos 20 anos. A família da vítima, que há três anos tinha conhecimento da situação, rompeu, finalmente, o silêncio, recusando a continuação deste alegado crime.

Segundo contam as autoridades citadas no The Washington Post, Hoagland terá vivido com o pai de Terry Symansky em Palm Beach, Florida, onde terá tido acesso à certidão de óbito do homem morto em 91. A partir daí, terá usado tal documento para obter uma certidão de nascimento em Ohio e, consequentemente, uma carta de condução em Alabama e, por fim, na Florida.

Enquanto Terry Symansky, Hoagland casou, em 1995, com Mary Hossler Hickman, com quem teve um filho, adquiriu imóveis e conseguiu uma licença da Administração Federal da Aviação.

Para trás, deixara quatro crianças e uma outra mulher a quem confessara estar a ser perseguido pelo FBI por ter desviado milhões de dólares. Nos anos 90, disse-lhe que não tinha outra solução. Hoje, diz à polícia que queria simplesmente fugir da esposa. Hoagland nem sequer tinha cadastro.

Mary, a segunda mulher, passou os últimos 20 anos casada com aquele que julgara ser Symasnky. "Agora não sabe o que fazer, nem se o casamento é legal, nem o que vai acontecer às suas propriedades, nem às contas bancárias", explica o detetive Anthony Cardillo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG