Ministério da Justiça confirma inquérito sobre naturalização de Abramovich

Porta-voz de Abramovich disse à agência Reuters que o proprietário do Chelsea "vê com bons olhos qualquer processo de inquérito, pois apenas demonstrará que a cidadania foi obtida de acordo com as regras".

O Instituto dos Registos e Notariado (IRN) abriu um inquérito interno sobre a concessão de cidadania portuguesa ao multimilionário proprietário do Chelsea, Roman Abramovich.

Nascido na Rússia e com origens judaicas, Abramovich obteve a cidadania portuguesa em abril de 2021 com base numa lei que oferece a naturalização a descendentes de judeus sefarditas que foram expulsos da Península Ibérica durante a Inquisição medieval.

O inquérito do IRN surge na sequência de várias críticas de ativistas, comentadores e políticos que afirmam que a lei deve ser revista por acreditarem que está a ser utilizada por oligarcas para se firmarem na União Europeia.

O Ministério da Justiça disse esta quinta-feira à Rádio Renascença que o processo de inquérito é um processo padrão, adotado sempre que existem indícios de alguma eventual irregularidade nos procedimentos dos serviços de registo.

Uma porta-voz de Abramovich disse entretanto à agência Reuters que o proprietário do Chelsea "vê com bons olhos qualquer processo de inquérito, pois apenas demonstrará que a cidadania foi obtida de acordo com as regras".

Milhares de judeus israelitas receberam a cidadania portuguesa desde que a lei foi aprovada em 2015. As genealogias dos candidatos são examinadas por especialistas de um dos centros judaicos em Portugal, Lisboa ou Porto. No caso de Abramovich, o centro do Porto foi o responsável.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG