Mais uma morte e 436 casos em Portugal nas últimas 24 horas

Estão internadas 244 pessoas com covid-19, indicam os dados mais recentes da DGS.

Portugal confirmou, nas últimas 24 horas, mais 436 casos de covid-19, segundo os dados do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Relatório desta quinta-feira (13 de maio) indica que morreu mais uma pessoa devido à infeção por SARS-CoV-2.

Nos hospitais portugueses, estão internados 244 doentes com covid-19 (menos quatro do que ontem), dos quais 70 em unidades de cuidados continuados (menos um).

Lisboa e Vale do Tejo regista a única vítima mortal por covid-19 em 24 horas e 128 novos diagnósticos da doença. É, no entanto, a região Norte a que continua a reportar o maior número de novas infeções (167).

Dos restantes novos casos, 47 foram confirmados no Centro, 19 no Alentejo, 31 no Algarve, 15 na Madeira e 29 nos Açores.

Portugal já contabilizou desde o início da pandemia 840 929 infeções pelo novo coronavírus, sendo que 801 961 pessoas recuperaram da doença, das quais 340 foram reportados entre ontem e hoje.

Há, por isso, 21 969 casos ativos de covid-19, mais 95 face ao dia de ontem

O relatório da DGS indica ainda que há 19 111 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde (menos 507 em relação ao dia anterior).

O índice de transmissibilidade, denominado R(t), é de 0,93 a nível nacional e de 0,92 no continente. Já a incidência da infeção por SARS-CoV-2 a 14 dias está em 51,0 casos por 100 mil habitantes em todo o território nacional e 48,7 infetados por 100 mil habitantes se tivermos só em conta o continente.

Auto agendamento para a vacina já está disponível para maiores de 55 anos

Esta quinta-feira ficou a saber-se também que o auto agendamento para a vacinação contra a covid-19 para quem tem 55 anos ou mais está disponível a partir de hoje.

"Tendo em conta o bom ritmo a que tem decorrido a vacinação contra a covid-19, informa-se que está disponível, desde o dia de hoje, a possibilidade de auto agendamento para idades iguais ou superiores a 55 anos", refere a task force do plano de vacinação.

Pode fazer o auto agendamento da vacina aqui.

E nesta época balnear a Polícia Marítima vai multar quem não use máscaras no acesso às praias, nos restaurantes, balneários e nos paredões. Para os que não cumprirem as regras de frequência nas praias, no âmbito do controlo da pandemia de covid-19, as multas variam entre os 50 e os 100 euros, avançou a edição de hoje do JN.

A definição dos valores da multa pelo incumprimento das regras constam do projeto de decreto-lei aprovado na semana passada, a 6 de maio, em Conselho de Ministros.

As multas também serão aplicadas a quem jogue com raquetes no areal ou entre numa praia com a ocupação lotada. O mesmo acontece a todos aqueles que não cumprirem o distanciamento de 1,5 metros entre pessoas no acesso à praia, bem como entre toalhas.

Aos jornalistas, o secretário de Estado da Saúde, Diogo Serras Lopes, apenas referiu: "Vamos ver qual é a norma final. Todas as normas são revistas e melhoradas naquilo que podem ser melhoradas. Não haverá uma enorme diferença entre o que eram as regras do ano passado e as regras de agora", partindo do princípio que a situação epidemiológica não se altere de forma significativa.

E passados dois dias desde os festejos dos adeptos do Sporting pela conquista do campeonato nacional, o secretário de Estado da Saúde admitiu que não podem existir, em tempo de pandemia, multidões nas ruas como as que se viu na terça-feira.

"Será muito importante que todos tenhamos aprendido que multidões daquela dimensão não são aconselháveis em pandemia e podem ter consequências em termos de saúde pública", disse esta quinta-feira Diogo Serras Lopes.

"Não sabemos o que vai acontecer. A verdade é que aconteceu num contexto de incidência baixa e é diferente acontecer num contexto de incidência baixa do que num contexto de incidência mais elevada", acrescentou.

Mais de 160 milhões de casos em todo o mundo

O secretário de Estado apelou a "uma enorme responsabilidade das pessoas", porque "sabemos bem as consequências desta pandemia".

A nível mundial, a pandemia é responsável por 3 333 603 mortos desde o início da pandemia, segundo o balanço da AFP com base em dados oficiais. Mais de 160 364 910 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da epidemia.

Os Estados Unidos são o país mais afetado tanto pelo número de óbitos como pelo número de casos, com 583 685 mortos e 32 814 946 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG