280. O sábado com menos casos de covid-19 em Portugal desde 22 de agosto

Boletim da DGS contabiliza mais sete mortes e 280 novos casos Há agora 512 pessoas internadas, 126 das quais em cuidados intensivos.

Registaram-se em Portugal mais 280 casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, indica a Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico deste sábado (3 de abril) dá também conta de mais 7 mortes por covid-19.

Este é o sábado com menos casos desde 22 de agosto. Há uma semana, no mesmo dia, foram contabilizados 344 contágios e, sete dias antes, 457. Há três semanas foram 564. Mas os números deste sábado poderão ter sofrido alguma influência pelo facto de ontem ter sido feriado.

Os dados da autoridade de saúde mostram que nos hospitais portugueses há agora 512 doentes, menos um que no dia anterior - o número mais baixo desde 20 de setembro.

Deste total, 126 estão em unidades de cuidados intensivos, menos 5 que os registados no boletim de sexta-feira e o valor mais recuado desde 11 de outubro.

318 pessoas recuperaram da doença. Há agora 26 294 casos ativos de covid-19 em Portugal, menos 45 que no dia anterior.

Lisboa e Vale do Tejo é a região com mais casos (95) e com mais mortes (6). A região norte conta 73 contágios e um óbito, enquanto o Algarve contabiliza 48 novos casos e nenhum óbito.

No centro há mais 19 casos a assinalar e no Alentejo 18, em ambas as regiões sem nenhuma morte.

Nas ilhas, os Açores têm 10 novos casos e a Madeira 17.

O R(t) - índice de transmissibilidade - e a incidência não são atualizados ao sábado, pelo que se mantém o quadro de ontem. O R(t) está em em 0,97 quer a nível nacional, quer considerando apenas o território continental.

Já a incidência do vírus, que teve uma ligeira subida na sexta-feira, está nos 65,6 casos de infeção pelo SARS-CoV-2 por cada 100 mil habitantes, a nível nacional. No território continental o nível de incidência situa-se nos 62,9 casos por cada 100 mil habitantes.

Sete mortes no Reino Unido após vacinação com AstraZeneca

Este sábado, a Agência Reguladora de Medicamentos e Cuidados de Saúde do Reino Unido (MHRA) avançou, num comunicado enviado à agência France-Presse, que sete pessoas morreram de coágulos sanguíneos após receberem a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca, num total de 30 casos identificados até agora. As autoridades de saúde britânicas abriram investigações para apurar a relação das mortes com a vacina, mas reforçam que os riscos são "muito pequenos" e aconselham a população a vacinar-se.

Na sexta-feira, a MHRA já anunciara ter identificado 30 casos de coágulos sanguíneos raros entre os 18,1 milhões de pessoas vacinadas com esse preparado até o final de março. O órgão regulador da saúde destacou que os riscos associados a esses coágulos são "muito pequenos" e que a população deve continuar a aceitar a vacina quando ela lhes é oferecida pelos serviços de saúde.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG