Casos diminuem pela 2ª semana consecutiva em relação à anterior

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde deste domingo, revela que Portugal registou ainda 348 internamentos, dos quais 98 em cuidados intensivos. Esta é a segunda semana consecutiva em que os casos diminuem em relação a anterior.

Portugal registou, nas últimas 24 horas, 478 novos casos de covid-19 e mais 6 óbitos. O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste domingo (25 de abril) revela que há agora 348 doentes internados, 98 em Unidades de Cuidados Intensivos.

Nos últimos sete dias foram, no total, 3441 casos, menos 66 que nos sete dias anteriores. Em média passaram de 501 para 491,5 por dia.

Neste momento, Portugal soma 834 442 casos de infeção, desde o início da pandemia, e 16 965 óbitos. Há ainda registar mais 164 casos ativos, relativamente a sábado, de um total de 24 792, e mais 511 contactos em vigilância, de um total de 24 313.

Quanto à incidência nacional, o país mantém os 72,1 casos por 100 mil habitantes, baixando quando se olha apenas para o Continente, 68,3 casos por 100 mil habitantes. O R (t) mantém-se também nos 0,98 a nível nacional e em 0,99 no Continente.

Os seis óbitos ocorreram nas regiões do Norte (2), Centro (2), Lisboa e Vale do Tejo (1) e no Algarve (1). A região do Norte é a que continua a registar maior número de casos (172), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (134), depois o Alentejo (51), o Centro (42) e o Algarve (30). Nas Ilhas, os Açores registaram 35 casos e a Madeira 14, mas sem óbitos.

A situação de Portugal, relativamente a outros países da Europa - como a Alemanha, que teve de reforçar as medidas restritivas, impondo o recolher obrigatório entre as 22.00 e as 05.00, nas regiões mais afetadas, França, que tem tido um registo diário que ultrapassa os 30 mil casos, e Itália, que neste sábado, véspera de iniciar o seu processo de desconfinamento, registou 14 mil casos positivos à covid-19 -, mas também do mundo.

Índia: uma preocupação mundial

A situação que vive agora a Índia é das mais preocupantes a nível mundial. Hoje, o país voltou a bater um novo recorde desde o início da pandemia no número de infeções, 350 mil, e de mortes também, 2767, mortes, tendo as autoridades locais decidido prolongar o confinamento por mais uma semana na capital do país, Nova Deli. O chefe do Governo de Nova Deli, Arvind Kejriwal, anunciou que foi decidido "prolongar o confinamento por uma semana", sublinhando que "a devastação do coronavírus continua e que não dá descanso."

Durante o fim de semana, especialistas anunciaram que acreditam que os números de casos possam ser maiores e atribuem a nova vaga a uma "dupla mutação" do vírus e a eventos de massas, como o feriado religioso hindu 'Khumb Mela', que reuniu milhões de peregrinos.

Sob o fogo de críticas pela sua falta de preparação perante esta nova onda de contaminações, o Governo estatal criou comboios especiais para transportar reservas de oxigénio para as cidades mais afetadas, enquanto pediu aos industriais para acelerarem a produção de oxigénio e medicamentos que estão em falta. Um comboio com 30 000 litros chegou na madrugada de sábado Lucknow, no estado de Uttar Pradesh (Norte), e guardas armados escoltaram os camiões enquanto distribuíram a carga aos hospitais da região.

A Força Aérea indiana também tem sido usada para transportar oxigénio e distribuir outros produtos em todo o país. Hospitais em Nova Deli lançam apelos diários de ajuda devido à rutura dos 'stocks' de oxigénio e muitos pacientes morrem em frente aos hospitais da capital por falta de camas e de ar.

Alemanha com 120 mortes e 18 733 novos casos

NO que toca a Europa, a Alemanha é o país que está em contraciclo e a viver agora a terceira vaga da doença. Neste domingo, registou 18 733 novos casos de covid-19, menos 400 do que no domingo passado, mas o número de mortes subiu, segundo dados do Instituto Robert Koch (RKI) divulgados este domingo. Segundo este instituto, morreram 120 pessoas por causas relacionadas com a doença covid-19, um número superior ao registado no domingo passado, com 67 óbitos, embora os números ao fim de semana sejam geralmente mais baixos do que nos dias úteis, porque são realizados menos testes e algumas unidades de saúde demoram mais tempo a comunicar os seus dados, refere a agência de notícias espanhola Efe.

EUA com 801 mortos e 54 231 casos nas últimas 24 horas

Os Estados Unidos registaram 801 mortos e 54.231 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo a contagem independente da Universidade Johns Hopkins. Desde o início da pandemia, o país acumulou 571 910 óbitos e 32 040 606 casos da doença.

Os EUA são o país com mais mortes e também com mais casos. O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, estimou que o país registe no total mais de 600 mil mortos devido à covid-19. O Instituto de Métricas e Avaliações de Saúde da Universidade de Washington, em cujos modelos de projeção da evolução da pandemia a Casa Branca se baseia com frequência, previu cerca de 610 mil mortes até 1 de julho.

Mas Joe Biden definiu com meta atingir o máximo de população vacina até ao feriado da Independência, 4 de julho, e neste momento, segundo o próprio mais de 130 milhões de pessoas já estão vacinadas. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), quase 130 milhões de pessoas com 18 anos ou mais foram vacinadas com pelo menos uma dose até o momento, o que representa 50,4% de todos os adultos do país.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG