Mais 450 casos em Portugal em 24 horas. Não há registo de mortes, mas R(t) sobe

Em 24 horas, 324 pessoas recuperaram da covid-19, mostram os dados da Direção-Geral da Saúde. Índice de transmissibilidade, R(t), sobe para 0,95.

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) indica que Portugal registou 450 novos casos nas últimas 24 horas. O país voltou a não registar mortes por covid-19, refere também o relatório desta sexta-feira (14 de maio).

Este é o quinto dia, desde o início da pandemia, em que Portugal não reporta óbitos associados à infeção pelo novo coronavírus. O primeiro ocorreu a 3 de agosto de 2020, o segundo foi a 26 de abril, o terceiro a 30 de abril e o quarto a 3 de maio.

Número de hospitalizações desce para 236 (menos oito face ao dia de ontem). Já nas unidades de cuidados intensivos há mais duas pessoas internadas, são, no total, 72 doentes.

Índice de transmissibilidade, R(t), sobe para 0,95, tanto a nível nacional como no continente. A incidência da infeção a 14 dias mantém, no entanto, a tendência de descida, com 50,3 casos de covid-19 por 100 mil habitantes a nível nacional. Em território continental, a incidência situa-se nos 48,1 casos de infeção por 100 mil habitantes.

Dois parâmetros da matriz de risco, que serve de base à gestão do Governo em relação ao plano de desconfinamento, sendo que Portugal mantém-se na zona verde.

De ontem para hoje, recuperaram mais 324 pessoas, elevando para 802 285 o número total de recuperados.

Desde o início da pandemia (em março de 2020) já foram registados em Portugal 841 379 casos de infeção pelo novo coronavírus, 16 999 óbitos, sendo que atualmente existem 22 095 casos ativos da doença (mais 126).

O relatório da DGS indica que o Norte continua a ser a região com o maior número de novos casos (157), seguida de Lisboa e Vale do Tejo, com 141 notificações.

Confirmaram-se mais 28 casos no Centro, 29 no Alentejo, 32 no Algarve, 34 na Madeira e 29 nos Açores.

Números da DGS mostram também que há 18 967 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde (menos 144).

Viagens não essenciais de e para o Reino Unido permitidas a partir de segunda-feira

Dados atualizados da pandemia em Portugal no dia em que se ficou a saber que as viagens não essenciais de e para o Reino Unido vão ser permitidas a partir das 00:00 de segunda-feira.

Será apenas necessário apresentar um teste negativo para a covid-19 realizado nas 72 horas anteriores, anunciou esta sexta-feira fonte governamental. A decisão governamental será tomada esta sexta-feira, disse à Lusa fonte do gabinete do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Também esta sexta-feira, a União Europeia veio dizer que há condições para "reabertura segura" do turismo no verão.

"É claro que a situação [da pandemia de covid-19] continua difícil. Contudo, estou certo de que finalmente vemos luz no fim do túnel. Agora temos as ferramentas e condições certas para garantir uma reabertura segura da época do turismo", frisou o responsável, na sessão de abertura do Fórum de Alto Nível sobre Sustentabilidade e Turismo, organizado pela presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE).

EUA vão acabar com a obrigatoriedade de máscaras para pessoas vacinadas

Entre essas ferramentas, Thierry Breton, responsável pelo grupo de trabalho sobre a estratégia de vacinação da UE, destacou o "aumento considerável da capacidade produtiva" de vacinas, que o leva a crer que "em meados de julho" serão entregues "doses suficientes para vacinar 70% da população" da UE.

Já os Estados Unidos vão acabar com a obrigatoriedade de máscaras faciais para pessoas vacinadas, incluindo nalguns ambientes fechados, devido à evolução favorável do combate à pandemia de covid-19, uma mudança saudada pelo presidente Joe Biden.

"Hoje é um grande dia para a América", disse Biden num discurso na Casa Branca, na zona exterior do Jardim das Rosas, em que anunciou a nova orientação.

A declaração do presidente dos EUA surgia na sequência de uma revisão de orientações dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) para pessoas totalmente vacinadas, permitindo que estas deixem de usar máscaras ao ar livre em multidões e na maioria dos ambientes fechados.

Mais de 161 milhões de casos registados em todo o mundo

Contudo, é ainda exigido o uso de máscaras em ambientes fechados lotados, como autocarros, aviões, hospitais ou prisões.

A nível mundial, a pandemia é responsável pela morte de pelo menos 3 346 813 pessoas desde que os primeiros casos foram detetados na China em dezembro de 2019, segundo o balanço desta sexta-feira feito pela AFP.

Desde o início da pandemia, já foram confirmados pelo menos 161 081 960 casos de infeção por SARS-CoV-2 em todo o mundo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG