Luz, uma Catedral que é bem mais do que um estádio

Encarnados mudaram-se para São Domingos de Benfica apenas em 1954 e já vão no segundo palco em pouco mais de 60 anos. Este, contudo, oferece muito mais do que futebol

O Benfica é de Benfica e é para lá que deverá regressar". Estávamos a 17 de maio de 1946 e o então ministro das Obras Públicas, Duarte Pacheco, "lançava" a primeira pedra para que o mais popular clube português se instalasse na agora freguesia de São Domingos de Benfica. Desde 1904, ano da sua fundação, os encarnados jogavam quase sempre em campos arrendados, até que se chegou a um acordo com a Câmara de Lisboa para que o clube regressasse então...a casa. O estádio da Luz, finalmente, acabou por ser inaugurado a 1 de dezembro de 1954.

Sessenta e dois anos depois esse mesmo palco já não existe, mas em 2003 nasceu um novo, bem mais moderno e praticamente no mesmo lugar. Agora, contudo, o recinto do Benfica é, provavelmente, o maior ícone desta freguesia de Lisboa e, acima de tudo, é também mais que um simples estádio. A "Catedral", como é conhecido o estádio, oferece espetáculo, animação, comércio e lazer.

Se ainda há poucos anos um edifício deste género servia quase exclusivamente para jogos de futebol e só enchia ao sábado ou ao domingo, hoje em dia é bem diferente. De manhã, de tarde ou mesmo à noite, entrar na área circundante ao estádio é sinal de vida, muita vida mesmo.

Quem chegar bem cedo ao estádio da Luz irá certamente ver centenas de pais e avós a aproveitarem alguns furos escolares para levarem os filhos ou netos às piscinas ou mesmo a um qualquer treino das muitas modalidades que o clube tem. Estes, depois, aproveitam o tempo livre para o passarem nas inúmeras lojas que o complexo desportivo coloca à disposição. Há quem também aproveite para visitar o próprio estádio por dentro, pois o clube disponibiliza visitas guiadas, onde o comum cidadão pode, por exemplo, ver onde os ídolos do futebol se equipam ou pisar o relvado do Estádio da Luz, entre inúmeras outras iniciativas que o clube coloca à disposição.

"Não sou do Benfica, mas como moro aqui no Bairro Dona Leonor passo aqui grande parte do dia. De manhã faço hidroginástica e à tarde venho com o meu neto aos treinos. É um local bonito e agradável", contou ao DN Luís Simões, de 77 anos, que faz praticamente tudo no recinto menos entrar propriamente no estádio. "Isso não. Sempre fui do Vitória de Setúbal e de nenhum dos grandes. Gosto muito deste espaço, mas lá dentro não entro, mesmo que o V. Setúbal jogue aqui".

Já Maria Adelaide, de 62 anos, vendedora ambulante na entrada norte do estádio, também não esconde que o recinto lhe facilita as vendas. "Desde cedo que há muitas pessoas a entrarem. Vendia nos Anjos, mas aqui vendo mais", referiu ao DN.

Desde 2013 os interessados têm também a possibilidade de visitar o Museu Cosme Damião, um espaço de três pisos com quatro mil metros quadrados, com mais de novecentas peças de exposição e onde por quase 30 espaços temáticos os encarnados contam uma história já de 112 anos.

Há tudo e mais alguma coisa para poder passar o tempo nesta área de mais de 45000 metros quadrados, algumas que também os comuns cidadãos nem sabiam que podiam realizar, como a celebração de um casamento ou aniversários em pleno estádio da Luz, que tem capacidade para 64 mil pessoas.

A ajudar estão também os bons acessos que o recinto tem, como duas estações de metropolitano, Colégio Militar e Alto dos Moinhos, além de um estacionamento interior com cerca de 1400 lugares repartidos em três pisos subterrâneos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG