Lisboa e Vale do Tejo é a região onde a vacinação completa está mais atrasada

Relatório da vacinação dá ainda conta que apenas 29% da população recebeu as duas doses do imunizante. Já o número de pessoas com uma dose chega aos 4,68 milhões, abaixo dos 50% da população.

A região de Lisboa e Vale do Tejo, a mais afetada neste momento pela pandemia de covid-19, é a que se encontra mais atrasada na vacinação completa contra a covid-19. É o que consta no relatório de vacinação da task force da Direção-Geral da Saúde, enviado esta terça-feira às redações.

Segundo este documento, nesta região apenas 24% da população já recebeu as duas doses do imunizante, contra 31% no Norte, 33% no Centro, 34% no Alentejo ou 27% no Algarve. Lisboa fica mesmo atrás das Regiões Autónomas -- Açores está com 27% e Madeira com 33%.

A zona da capital apenas se encontra com números semelhantes às outras regiões (45%) relativamente ao número de pessoas que já receberam a primeira dose da vacina, segundo se pode ver no mapa que aqui reproduzimos.

O mesmo relatório dá ainda conta que ao nível nacional apenas 29% da população já recebeu as duas doses da vacina, num número que não chega aos 3 milhões de pessoas -- concretamente, foram 2.947.718 os vacinados.

Já o número de pessoas que receberam uma dose da vacina chegou às 4.688.551, o que representa 46% da população -- ainda menos de metade.

Portugal registou, nas últimas 24 horas, 1020 novos casos de covid-19 e seis mortes, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta terça-feira (22 de junho).

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser, no conjunto do país, o principal "motor" a fazer subir o número de infetados: 648 nas últimas 24 horas (ou seja, 63,5 por cento). O Norte registou 121 novos infetados; o Centro 101; o Algarve 70; os Açores 44; o Alentejo 32 e a Madeira quatro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG