Ryan tem nove anos e fatura milhões no YouTube. Só este ano foram quase 30 milhões de dólares

Ainda não conta os anos com os dedos das duas mãos e já faturou dezenas de milhões de dólares através de um canal no YouTube.

É uma máquina de fazer dinheiro. Segundo a revista Forbes, Ryan Kaji, de 9 anos, é a estrela de YouTube com mais receitas, ao faturar 29,5 milhões de dólares com o seu canal, que conta com 27,5 milhões de assinantes e o canal da sua família, que tem 6,4 milhões de seguidores.

O fenómeno não é novo: o canal de Ryan está pelo terceiro ano consecutivo no top dos que mais dinheiro faturam no YouTube e agora já leva mais de 12 mil milhões de visualizações.

O canal de Kaji começou por ser de vídeos com críticas de novos brinquedos e agora experiências de ciência, bem como brincadeiras com as suas irmãs gémeas.

Não por acaso o seu canal chama-se Ryan's World (o mundo de Ryan): ali promovem-se cerca de 5 mil produtos com tudo e mais alguma coisa licenciados com o nome de Ryan e que geram mais de 200 milhões de dólares por ano, o que dará a Ryan 29,5 milhões de dólares (24,1 milhões de euros).

Muitos dos produtos são relacionados com o Red Titan, um alter-ego seu em forma de superherói animado. Colchas, máscaras, escovas de dentes ou brinquedos Red Titan, bem como artigos com a imagem de Kaji são vendidos na Amazon bem como nas redes de supermercados norte-americanos.

A popularidade de Ryan Kaji há muito ultrapassou as fronteiras dos YouTube. A série Ryan's Mystery Playdate vai na terceira temporada no canal infantil Nickelodeon. Um novo canal, Ryan and Friends, foi lançado em setembro através do serviço de streaming Roku. E no mês passado, Super Spy Ryan estreou na Amazon Kids, a primeira série original para aquela marca centrada nas crianças, e que também tem uma linha de brinquedos vendida exclusivamente na Amazon.

Questionado pela Forbes sobre o que quer fazer quando crescer, o menino que vive no Texas diz que quer ser um gamer, ao que o pai explicou que o filho está já a aprender programação informática. Quanto ao dinheiro, só tem acesso quando chegar à idade adulta.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG