Jovens de Santa Maria da Feira são os que mais fumam na Europa

Pelo menos 14% dos jovens entre 15 e 16 anos do concelho de Aveiro fuma diariamente e 72,3% já bebeu álcool

Um estudo internacional envolvendo estudantes de 15 e 16 anos revelou hoje que os de Santa Maria da Feira fumam e consomem mais tranquilizantes do que os jovens das outras sete cidades europeias analisadas na pesquisa.

Em causa estão os resultados do programa Juventude na Europa - Prevenção da Toxicodependência Baseada em Evidências, que teve como parceiras diversas entidades de Santa Maria da Feira e nesse concelho avaliou comportamentos de 1.702 estudantes dessa faixa etária específica.

Coordenado por uma equipa da Islândia, o estudo envolveu grupos de trabalho de Portugal, Malta, Turquia, Espanha, Letónia, Itália, Grécia e França, num universo total de 6.497 jovens.

"A população jovem [de Santa Maria da Feira] que fuma diariamente é de cerca de 14,4% nos rapazes", afirmou Andreia Santos, uma das responsáveis pela componente portuguesa do estudo, enquanto chefe da Divisão de Educação da Câmara Municipal local. "Em relação às outras cidades, fumam mais tabaco diariamente do que os outros jovens", realçou.

A percentagem de raparigas que consome tabaco todos os dias fica-se, no entanto, pelos 7,2% em Santa Maria da Feira face aos 9,2% na população feminina dos outros países analisados, o que ajuda a um resultado final mais favorável: em Santa Maria da Feira a média global de fumadores é de 10,5%, enquanto a dos outros países sobe para 11,3%.

Quanto aos que nunca fumaram, são 55% dos inquiridos em Santa Maria da Feira e 58% nas outras cidades avaliadas.

Já quanto a tranquilizantes ou comprimidos para dormir, os jovens de Santa Maria da Feira também se destacam, considerando que 13,2% da amostra confessou ter recorrido a esses fármacos uma ou mais vezes na vida, enquanto os seus colegas de outras nacionalidades se ficaram por uma média de 10,9%.

O mesmo estudo apurou, ainda, que os jovens deste concelho do norte do distrito de Aveiro também superam os restantes no que se refere a experimentar álcool uma ou mais vezes na vida: nesta cidade 72,3% da amostra já o fez, enquanto nos outros países a média foi de apenas 65,6%.

Esse consumo não invalida uma maior consciência dos limites, já que em Santa Maria da Feira só 8% dos questionados se embriagaram pelo menos uma vez nos 30 dias anteriores ao inquérito, enquanto nos outros países 14% assumiram ter ficado bêbedos no mesmo período.

No mesmo contexto, 38% dos jovens de Santa Maria da Feira nunca beberam álcool, assim como 42% dos restantes estudantes da amostra internacional global.

Para Andreia Santos, estes e outros resultados demonstram que é preciso "reforçar o diálogo entre as principais partes interessadas" no comportamento da população jovem portuguesa. Será possível uma melhor prevenção de riscos se a estratégia for concertada entre "políticos, municípios, autoridades locais, pais, escolas, serviços de saúde, serviços sociais, organizações juvenis e entidades promotoras de atividades de lazer e desportivas".

"Juventude na Europa" é um projeto de prevenção primária que vem sendo desenvolvido e testado há mais de 15 anos na Islândia, que hoje regista uma das mais baixas taxas europeias de consumo de álcool e de uso de substâncias entre os adolescentes. No concelho português, o trabalho foi orientado pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e pelo projeto Ponto P.

Neste estudo, a pesquisa centrou-se na aplicação de um questionário que, comum a todas as cidades participantes, incluiu perguntas sobre o consumo de substâncias psicoativas, fatores sociais que permitiam mapear o seu consumo e os principais riscos e fatores de proteção em cada cidade participante.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG