Hospital troca cadáveres. Família enterrou pessoa errada

Durante o velório, surgiram várias dúvidas acerca da identidade do cadáver, mas agência funerária desvalorizou

Um dia depois do funeral, o telefone tocou. Era do Hospital da Portimão a dizerem que tinha ocorrido um erro e que fora entregue o corpo errado. Carla Soares, neta da falecida, está indignada. "Como é que isto é possível?", questiona em declarações ao Jornal de Notícias.

Maria Teresa Carvalho, 87 anos, deu entrada no hospital de Portimão no dia 11 e dois dias depois morreu. A neta, residente em Casal de Cambra, Sintra, tratou de tudo com a funerária, que lhe garantiu que não seria necessário identificar o corpo, segundo avança o JN.

Durante o velório, surgiram várias dúvidas acerca da identidade do cadáver. A avó de Carla teria entre 80 e 90 quilos e a senhora que estava no caixão "tinha aí metade". Além disso, conta, a avó tinha os dentes todos e aquele corpo que estavam a velar tinha apenas três. A funerária desvalorizou e o funeral realizou-se, no dia 15, quarta-feira. No dia seguinte, surge o tal telefonema a confirmar que tinha ocorrido uma troca de corpos.

Carla aguarda agora que lhe seja entregue o cadáver da avó.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG