Governante diz que mais vale arderem 10 mil hectares do que um bombeiro ferido

"A segurança de quem intervém deve ser um desígnio este ano", disse o secretário de Estado da Administração Interna

O Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, disse hoje que "mais vale arderem 10 mil hectares do que um bombeiro ficar ferido" no combate aos incêndios.

Aquele membro do governo falava nos Paços do Concelho de Vale de Cambra, durante a apresentação pública do Plano Operacional Distrital de Aveiro (PLANOP), no âmbito do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF/2016), em que enfatizou a necessidade dos bombeiros atuarem em segurança no combate aos incêndios florestais.

"A segurança de quem intervém deve ser um desígnio este ano. Preocupa-nos muito mais que um bombeiro fique ferido do que 10 mil hectares ardidos. Deixem arder, mas não se queimem", disse, dirigindo-se a uma plateia em que estavam representantes de várias corporações do distrito.

Jorge Gomes enalteceu o papel dos bombeiros, nomeadamente dos voluntários, que representam 90 por cento da força humana envolvida no dispositivo de combate aos fogos florestais, afirmando o empenho do Governo na sua valorização.

"Promovemos o regresso dos bombeiros à isenção das taxas moderadoras e estamos a trabalhar noutros apoios porque o voluntariado tem de ser reconhecido e recompensado", disse.

Jorge Gomes realçou também o apoio às próprias corporações, quer através da distribuição de equipamento de proteção individual, quer através da renovação de viaturas, que passaram a estar isentas de imposto sobre veículos, quer ainda com novos apoios a instalações.

O secretário de Estado, que anunciou para maio o lançamento de novos avisos de candidatura para a construção e reabilitação de infraestruturas, com novos critérios, censurou o concurso anterior, em que "foram chumbadas 47 candidaturas sem razão, exigindo-se abranger mais de 20 mil habitantes para não ser chumbado".

"Estamos com dois anos de atraso. Havia 24 mil milhões de euros disponíveis em fundos comunitários em 2014 e gastámos zero. Estamos a alterar os critérios (das candidaturas) e em maio vamos abrir novos avisos com mais dinheiro", anunciou.

O financiamento da helipista em construção numa área anexa aos Bombeiros de Vale de Cambra poderá vir a ser garantido por essa via, conforme admitiu, após o presidente da Câmara ter feito referência à sua necessidade, durante a sua intervenção.

O Plano Operacional de Aveiro, apresentado por José Bismark, tem como pilares a prevenção estrutural, a prevenção operacional e o combate aos incêndios e define na sua estratégia a rapidez de um combate inicial "musculado", com chegada ao local até 20 minutos e a recuperação contínua da capacidade do ataque inicial.

Abrange 19 concelhos e envolve 25 corpos de bombeiros, além da proteção civil, conservação da Natureza e forças de segurança, contando com dois centros aéreos (Vale de Cambra a partir de 15 de maio e Águeda a partir de 01 de julho) e em termos de meios terrestres com 82 equipas, 127 viaturas e 560 operacionais.

O distrito de Aveiro tem mais de 230 mil hectares de floresta, sendo os concelhos do norte e nascente os de maior risco e em 2015 arderam 3530 hectares, com grandes incêndios em Arouca, Vale de Cambra, Sever do Vouga e Albergaria-a-Velha.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG