GNR deteve mulher de 79 anos e identificou 10 por incêndio florestal em Vila Real

Segundo a GNR, no mesmo período, foram ainda elaborados 16 autos de contraordenação por incumprimento das normas relativas ao uso do fogo.

A GNR deteve uma mulher de 79 anos e identificou nove pessoas suspeitas e uma empresa pelo crime de incêndio florestal nos últimos 10 dias, no distrito de Vila Real, anunciou esta segunda-feira o Comando Territorial.

Entre o dia 18 de março e domingo, a GNR de Vila Real identificou nove suspeitos com idades entre os 30 e os 86 anos, identificou ainda uma empresa e deteve uma mulher de 79 anos por incêndio florestal, nos concelhos de Vila Pouca de Aguiar, Mondim de Basto, Ribeira de Pena, Vila Real, Chaves e Montalegre.

A Guarda referiu, em comunicado, que, após alertas de incêndios florestais e no decorrer de diversas ações de patrulhamento, os militares detiveram a septuagenária por incêndio florestal no dia 24 de março.

Foram ainda, acrescentou, identificados nove suspeitos e uma empresa de gestão de combustíveis, "responsáveis pela queima de sobrantes e pela renovação de pastagens e queimadas, das quais vieram a resultar incêndios florestais".

Em todos os casos, os factos foram remetidos para os respetivos tribunais.

Segundo a GNR, no mesmo período, foram ainda elaborados 16 autos de contraordenação por incumprimento das normas relativas ao uso do fogo.

No comunicado, a Guarda relembrou que, em qualquer altura do ano é proibido queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração florestal ou agrícola sem pedir autorização ou fazer comunicação prévia.

Referiu ainda que a realização de queimadas só é permitida após autorização do município ou da freguesia e carece de acompanhamento de um técnico credenciado em fogo controlado.

Para evitar acidentes, a GNR aconselha a que sejam seguidas as regras de segurança e que quem proceda à realização de uma queima esteja sempre acompanhado e leve consigo o telemóvel.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG