Festa interrompida em Évora, ginásio fechado em Portalegre

Ações da ASAE e da PSP em Portalegre e Évora fecham atividades ilegais e conduzem a multas. O ginásio encerrado em Portalegre continua "sistemas de dissimulação que asseguravam a não emissão de sinais para o exterior"

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou este sábado ter encerrado um ginásio que funcionava ilegalmente em Portalegre.

"O operador económico, localizado em Portalegre, mantinha a prestação do serviço, funcionando em total incumprimento das medidas decorrentes do estado de emergência de forma camuflada, por intermédio de mecanismos de controlo de entradas, de vigilância das imediações para alerta quanto a possível intervenção policial e munido com sistemas de dissimulação que asseguravam a ​​​​​​​não emissão de sinais para o exterior", lê-se no comunicado.

A ASAE afirmou também que a sua ação "resultou no encerramento coercivo do ginásio e na identificação do proprietário e dos seis clientes que ali se encontravam", originando, também, a instauração os processos de contraordenação.

Está em causa a "violação do encerramento de atividade do estabelecimento, do dever geral de recolhimento obrigatório" e ainda "ausência uso de máscara".

Em Évora, a PSP acabou sexta-feira com uma festa ilegal com cerca de 25 pessoas que decorria numa residência da cidade.
O Comando Distrital de Évora da PSP indicou, em comunicado, que na sexta-feira, cerca das 19:45, a polícia deslocou-se a uma residência em Évora, por "haver suspeita da realização de uma festa ilegal com várias pessoas no seu interior".

"Ao chegar ao local foi possível apurar que de facto aí estava a acontecer uma festa de aniversário com cerca 25 pessoas", refere o comunicado.

Segundo a polícia, após ter sido ordenado o encerramento da festa e os participantes terem saído para o exterior, aqueles que não eram moradores foram identificados e abandonaram o local, tendo sido informados que "a sua conduta não era permitida face ao estado de emergência em vigor".

Da ação da PSP, adianta o comunicado, resultaram multas para dez pessoas por "incumprimento do dever geral de recolhimento domiciliário", tratando-se dos adultos responsáveis em termos contraordenacionais. Os restantes participantes eram crianças e adolescentes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG