Estes pandas gémeos precisam de um nome

Os animais foram esta semana apresentados ao público pelo Parque de Xangai que organiza um concurso para batizá-los. Veja o vídeo

Os primeiros pandas gémeos nascidos no Parque de Animais Selvagens de Xangai foram este domingo apresentados ao público. Os bebés vieram ao mundo no dia 4 de outubro e estiveram até agora na maternidade.

Agora que se transformaram em estrelas instantâneas, só lhes falta uma coisa: um nome. A administração do parque decidiu para isso abrir um concurso via internet, no site chinês Weibo.

Os dois pandas, um macho e uma fêmea, nasceram com 16 minutos de diferença. Segundo a imprensa local, a mãe, Youyou, apenas amamentou o primeiro filhote, tendo rejeitado a outra. Os veterinários do parque têm-na tratado e alimentado e apresenta-se de boa saúde.

Isso mesmo pode ver-se no vídeo da apresentação das crias ao público.

Pandas dos EUA na China

Também esta terça-feira foi divulgado que o primeiro par de pandas gémeos gigantes alguma vez nascido nos Estados Unidos já foi levado para a China, onde deverá viver. Segundo o Shangai Daily, a adaptação está a correr bem mas outros meios de comunicação dão conta do contrário.

As irmãs Mei Lun e Mei Huan, cujos nomes significam "algo indescritivelmente belo e algo indescritivelmente magnífico" em mandarim, nasceram a 15 de julho de 2013 nos Estados Unidos. São a quarta e quinta cria do casal chinês de pandas Lun Lun e Yang Yang, que foi para o Jardim Zoológico de Atlanta em 1999.

No seguimento de um acordo entre os dois países, todas as crias devem ser levadas para o nação dos pais.

No mês passado, com três anos, as crias foram levadas para a província de Sichuan, na China. Segundo Chen Xin, do departamento de prevenção e controlo de doenças do Centro de Pesquisa para a Procriação de Pandas em Chengdu, os animais cumpriram um mês de quarentena quando chegaram e estão de boa saúde.

O tratador Luo Yunhong contou ainda que as gémeas se dão muito bem uma com a outra. "Elas nunca lutaram. Às vezes abraçam-se quando estão a dormir e comem bambu encostadas uma na outra", disse.

No entanto, notícias avançadas em novembro afirmavam que a adaptação dos pandas não tem sido fácil, principalmente no que toca à língua e à comida. Segundo o Washington Post, que cita a televisão local chinesa, os animais não respondem quando os tratadores falam em mandarim e não aceitaram bem a mudança na alimentação.

A dieta dos animais está a ser lentamente alterada, de biscoitos americanos para bambu, maçãs e pães cozidos a vapor.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG