Este domingo foram restabelecidas as fronteiras com Espanha

No Caia, em Elvas, verificava-se pouco movimento durante o primeiro dia desta nova realidade

Os portugueses não podem sair do país, depois do controlo nas fronteiras terrestres restabelecido, tendo em conta que com o agravamento da situação epidemiológica da Covid-19, o Governo determinou a "limitação às deslocações para fora do território continental dos cidadãos portugueses", em qualquer meio: rodoviário, ferroviário, aéreo, fluvial ou marítimo.

Na fronteira do Caia, no concelho de Elvas, distrito de Portalegre a Guarda Nacional Republicana (GNR) e o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) começaram a realizar o controlo da fronteira com Espanha, num dos oito dos oito locais de passagem autorizada, 24 horas, entre os dois países, previsto pelo despacho do ministro da Administração Interna.

João Lourenço, comandante do Destacamento Territorial da GNR de Elvas, explica que os militares vão estar, até dia 14 de fevereiro, a verificar a entrada de pessoas em território nacional, "nestes dias a GNR, em articulação e colaboração com o SEF e em estrita colaboração com as autoridades espanholas vamos fazer este controlo de pessoas na fronteira terrestre verificando e permitindo as exceções prevista do despacho para a entrada de pessoas em Portugal"

Há exceções à entrada e saída do país, sendo que o controlo será também feito com o apoio das autoridades espanholas. Do lado português "o controlo é feito pelas autoridades portuguesas à entrada, como foi feito em março de 2020 e o controlo na saída é feito pelas autoridades espanholas. As restrições para saída de cidadãos portugueses de território nacional estão definidas no despacho. As exceções são os trabalhadores transfronteiriços, trabalhadores sazonais, acesso a unidades de saúde no âmbito dos acordos bilaterais, transporte internacional de mercadorias, viaturas médicas e veículos afetos às forças de segurança" acrescentou o capitão da GNR.

"Vemos que as pessoas estão sensíveis e estão a cumprir e que não há movimentos desnecessários" conforme adiantou o capitão João Lourenço, apelando "à população para que evite deslocações desnecessárias".

Os cidadãos portugueses estão impedidos de sair do país até dia 14 de fevereiro, sendo possível realizar deslocações estritamente essenciais como desempenho de atividades profissionais com dimensão internacional devidamente documentadas; saída do território continental de cidadãos portugueses com residência noutros países; transporte de carga ou correio; para fins humanitários ou emergência médica; transporte internacional de mercadorias, de trabalhadores transfronteiriços ou sazonais e veículos de emergência, socorro e urgência; e deslocações com destino às Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Entre os oito pontos de passagem permanentes autorizados, 24 horas por dia, encontra-se a fronteira do Caia, controlada pela GNR e SEF do lado português e pela Polícia Nacional espanhola à entrada em Badajoz (Espanha).

Serviço especial da Rádio ELVAS para o Diário de Notícias

Mais Notícias

Outras Notícias GMG