Doentes ficaram dois dias sem comer e sem medicação

Bastonária da Ordem dos Enfermeiros denunciou situação num debate promovido pela Ordem dos Médicos

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros denunciou, ontem à noite, casos de doentes que ficam dois dias sem comer ou sem acesso a medicação. Num debate promovido pela secção norte da Ordem dos Médicos, no Porto, Ana Rita Cavaco não especificou em que hospital se regista esta situação, mas alertou para a falta de meios e recursos em geral.

"Faltam 30 mil enfermeiros e faltam recursos. Falta material, faltam pessoas para dar comer a estes doentes e, infelizmente, chegam-nos relatos que há doentes que estão a aguardar e que estão em observação e que não comem há dois dias ou que há serviços que estão com uma afluência tão grande que não há ninguém para trazer os medicamentos. Isto é próprio de um país de terceiro mundo", disse a bastonária da Ordem dos Enfermeiros à SIC, depois de ter denunciado o caso no debate sobre a situação que se vive no Serviço Nacional de Saúde.

Ana Rita Cavaco explicou ao jornal Público que o conselho de administração do hospital em causa já foi questionado sobre o caso e que, estando a aguardar uma resposta, não divulgará qual se trata.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG