DGS: Maioria dos óbitos são pessoas com mais de 80 anos e com "várias doenças"

"O perfil habitual" das pessoas que morrem infetadas com covid-19 "é ter uma carga de doenças muito grande. Terem várias doenças", afirmou a diretora-geral da Saúde.

A maior parte das pessoas que está a morrer atualmente em Portugal por covid-19 tem mais de 80 anos, várias doenças e está vacinada, indicou esta quinta-feira a diretora-geral da Saúde.

"Estão a morrer predominantemente pessoas com muito idade, com 80 ou mais anos de idade. O perfil habitual é ter uma carga de doenças muito grande. Terem várias doenças", disse aos jornalistas Graça Freitas, numa conferência de imprensa realizada na sede do Infarmed (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde).

A diretora-geral da Saúde avançou também que a maior parte das pessoas que está a morrer é vacinada contra a covid-19, uma vez que a população desta faixa etária está praticamente toda vacinada.

Graça Freitas ressalvou que também há entre os óbitos pessoas não vacinadas.

"Os países que vacinaram muito pouco na Europa têm uma mortalidade incomparavelmente superior à de Portugal. Apesar de tudo, se Portugal mantém estes números é porque tem a sua população vacinada", disse.

Desde o início da pandemia que morreram em Portugal 11.937 pessoas com covid-19 com mais de 80 anos, 3.918 entre a faixa etária dos 70 aos 79 anos e 1.667 entre os 60 e os 69 anos.

A covid-19 provocou pelo menos 5.122.682 mortes em todo o mundo, entre mais de 254,95 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.295 pessoas e foram contabilizados 1.115.080 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG