Crescimento das asas de ave relacionado com alterações climáticas

As maiores alterações no comprimento da asa ocorreram a partir da década de 1970

As asas de umas aves comuns no oeste da Austrália cresceram entre quatro e cinco centímetros nos últimos 45 anos e a causa pode estar relacionada com as alterações climáticas, segundo um estudo australiano divulgado hoje.

Cientistas da Universidade de Notre Dame em Sydney relacionaram o crescimento das asas do papagaio de Barnard ("Barnardius zonarius") com as alterações climáticas, atendendo a que geralmente as extremidades dos animais em climas quentes tendem a ser mais compridas.

"À medida que a temperatura sobe, o aumento do comprimento das asas pode ajudar estas aves a libertarem-se do excesso de calor e adaptarem-se melhor ao seu meio ambiente", disse um dos cientistas que participaram no estudo Dylan Korczynskyj em declarações citadas pela estação local ABC.

Korczynskyj explicou que as maiores alterações no comprimento da asa ocorreram a partir da década de 1970, um período que coincide com as variações de temperatura de cerca de mais 0,1 e 0,2 graus centígrados e as práticas de desflorestação que se registaram no estado da Austrália Ocidental.

Embora a variação da temperatura pareça mínima, o impacto no meio ambiente é significativo tal como demonstra a investigação aos papagaios, segundo o cientista.

Na investigação foram examinadas várias espécies do Museu da Austrália Ocidental que tem uma coleção de aves que datam do início do século XIX e inclui um exemplar de um papagaio de Barnard de 1904.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG