Carlos Alexandre: "Esta coisa do super juiz tem de acabar"

Juiz diz que não se revê na "alcunha" e que ela tem criado muitos "anticorpos"

Carlos Alexandre é o juiz mais conhecido do país, responsável por casos como Face Oculta, BPN, Vistos Gold ou Operação Marquês, que envolve o ex-primeiro ministro José Sócrates.

Muitas vezes chamam-lhe "super juiz", mas não gosta, revelou nas Conferências do Estoril, num debate sobre justiça e democracia. Foi um dos principais oradores, juntamente com o juiz brasileiro Sérgio Moro e o juiz espanhol Baltazar Garzon.

"Essa coisa de super juiz tem de terminar porque não me revejo nela", afirmou, acrescentando que lhe tem criado "muitos anticorpos".

Depois, falou sobre um assunto que tem merecido muita da sua atenção: a corrupção. Usando uma obra de Almeida Santos, antigo presidente da Assembleia da República, defendeu que sejam criadas regras especiais para combater a corrupção, de acordo com o Público.

Acrescentou que "a corrupção nunca vai acabar" e criticou o direito fiscal por permitir o desvio de dinheiro para offshores, para beneficiar "figurões e sociedades envolvidas".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG