Canalização do Centro de Saúde de Vila Real de Santo António substituída

Obra ficou concluída no final de setembro. Administração Regional de Saúde já deu ordens ao centro hospitalar para fazer o mesmo na urgência básica, que divide as instalações com o centro de saúde

A canalização do Centro de Saúde de Vila Real de Santo António, onde foi identificada Legionella, já foi substituída e os utentes e profissionais de saúde já não correm riscos de contaminação, garantiu Tiago Botelho, vogal do conselho diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve.

Uma deliberação da Entidade Reguladora da Saúde (ERS), datada de setembro, revelou que a rede de água do edifício onde estão instalados o Centro de Saúde e o Serviço de Urgência Básica (SUB) de Vila Real de Santo António estava contaminada com Legionella. Apesar das várias medidas tomadas para a eliminação da bactéria, a presença da mesma continuou a ser positiva. Por isso, nessa deliberação a ERS recomendou a tomada de medidas, que em último caso poderia passar pela suspensão dos serviços de saúde a funcionar naquele edifício.

Tiago Botelho explicou à Lusa que após a identificação da presença da bactéria foram tomadas medidas, nomeadamente um choque térmico (que visa pressionar a canalização com água a altas temperaturas) e um choque químico. Tendo em conta que "não era a primeira vez que esta bactéria tinha sido identificada", a ARS do Algarve optou pela "substituição integral da canalização" do Centro de Saúde de Vila Real de Santo António.

Ao DN, o mesmo responsável adiantou que a decisão de fazer esta obra foi tomada antes da visita da ERS. "A empreitada arrancou no final de agosto e as obras de substituição da canalização terminaram no final de setembro. Desde a alteração dos canos já foram feitas análises e aguardamos os resultados definitivos. Os preliminares deram negativos para a presença da bactéria. Outras medidas preventivas foram tomadas, como a eliminação de todos os pontos de consumo que pudessem criar risco foram eliminados", disse Tiago Botelho, adiantando que a ERS já tem conhecimento dos procedimentos realizados.

O responsável garante que, tendo em conta as medidas tomadas, não existe qualquer risco de contaminação pela bactéria nas instalações do Centro de Saúde de Vila Real de Santo António.

Mas se no lado do centro de saúde toda a canalização foi mudada, na parte do edifício em que funciona o SUB, e na qual a ERS apurou que se encontravam "os pontos mais críticos" da presença de legionella, o mesmo ainda não aconteceu. Mas já foram dadas ordens para que as obras fiquem concluídas em breve.

"A gestão cabe do SUB cabe ao Centro Hospitalar do Algarve e eles é que são responsáveis pela empreitada. Mas foram tomadas medidas preventivas e do lado do SUB foram feitos choques térmicos e químicos. Demos ordens - usando das novas competências que foram atribuídas às ARS - ao Centro Hospitalar do Algarve para que dê informação à ARS no prazo de cinco dias sobre a situação e que no máximo até ao final do próximo mês tenha as obras [de substituição da canalização] concluídas".

Com Lusa

Mais Notícias

Outras Notícias GMG