Câmara de Coimbra suspende pagamento de estacionamento na via pública

Coimbra segue assim o exemplo de Lisboa e Porto, que já tinham anunciado a suspensão do pagamento de estacionamento

A Câmara de Coimbra vai suspender o pagamento de estacionamento automóvel na via pública a partir de terça-feira e até ao final de março, uma medida tomada devido à pandemia de covid-19, foi anunciado esta segunda-feira.

A suspensão do pagamento de estacionamento será "reavaliada no final de março", afirmou a Câmara de Coimbra, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Devido às medidas de contingência da pandemia, designadamente a suspensão da atividade das escolas, os Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra (SMTUC) reduziram a sua oferta, explicou.

"Apesar de esta redução ter tido em consideração as pessoas que continuam a trabalhar e a oferta para locais de maiores deslocações, como os hospitais, a Câmara de Coimbra entendeu suspender a partir de amanhã [terça-feira] o pagamento do estacionamento na via pública ao ar livre", salientou o município.

Esta é "uma medida de apoio para aqueles que continuam a trabalhar e viram a oferta de transportes públicos ser reduzida nesta fase em que a procura é menor, apesar de mantida a oferta para os locais de maiores deslocações", afirmou o presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, citado no comunicado.

Segundo a autarquia, a Polícia Municipal vai continuar a "fiscalizar o cumprimento do código da estrada e a salvaguardar a qualidade do espaço público e a mobilidade das pessoas, nomeadamente no que diz respeito ao estacionamento indevido nos passeios, nas paragens de autocarros ou nas passadeiras".

Na sexta-feira, a Câmara do Porto decidiu suspender o pagamento dos parquímetros a toda a cidade a partir desta segunda-feira e enquanto existirem restrições à circulação.

Dois dias depois, a Câmara Municipal anunciou que o pagamento do estacinamento automóvel na capital está suspenso a até ao ao dia 28 de fevereiro por causa da pandemia da covid-19.

Em Portugal, morreram 10 721 pessoas dos 643 113 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG