Bombeiros com trabalho difícil no socorro ao militar ferido no acidente com Pandur

Uma viatura do Exército despistou-se esta manhã, numa mata perto da aldeia de Sanguinhedo. Três militares ficaram feridos, um encarcerado e em estado grave

As características da viatura blindada do Exército hoje acidentada em Vila Real dificultaram a operação de desencarceramento do militar ferido com gravidade, disse fonte dos bombeiros.

Uma viatura do Exército Pandur despistou-se esta manhã, numa mata perto da aldeia de Sanguinhedo, durante o reconhecimento para um curso de condutores. O acidente provocou três feridos, entre os 20 e 30 anos, tendo um deles ficado com ferimentos graves.

Ricardo Costa, segundo comandante da Cruz Verde de Vila Real, afirmou aos jornalistas que a operação de desencarceramento do militar ferido com gravidade foi dificultada pelas características do veículo militar.

"A vítima que ficou encarcerada foi a que inspirou mais cuidados, demorou mais tempo a efetuar o desencarceramento devido às características de ser blindada a viatura", salientou.

A operação foi demorada e envolveu 20 bombeiros e seis viaturas de desencarceramento e pré-hospitalar.

O militar com ferimentos mais graves foi assistido no local pela equipa da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) e transportada de helicóptero para o Hospital de Santo António, no Porto.

Os outros dois feridos foram transportados para a unidade de Vila Real do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto (CHTMAD).

O alerta para o acidente foi dado às 11:30 e o acesso ao local foi vedado aos jornalistas.

O tenente-coronel Vicente Pereira, das Relações Públicas do Exército, disse à agência Lusa que os militares feridos são três instrutores e adiantou que vão ser apuradas agora as causas do acidente.

Para além de vários militares do Exército e dos meios de socorro, esteve também no terreno a GNR de Vila Real.

Esta manhã, ouvido na comissão parlamentar de Defesa, o ministro da tutela, Azeredo Lopes, informou os deputados sobre este acidente, comentando que "infelizmente estas coisas podem acontecer" e evidenciam "o que é a condição militar".

O presidente da comissão de Defesa, Marco António Costa, manifestou por seu lado a solidariedade dos deputados para com as vítimas do acidente, que provocou três feridos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG