Apenas um colégio e uma escola pública com média negativa

Regras impostas devido à covid-19, só alunos que queriam seguir para o ensino superior é que fizeram provas e os testes tinham respostas opcionais, fizeram com que as médias subissem dois valores. Colégio Nossa Senhora do Rosário com a melhor média. Escola Secundária José Cardoso Pires e Externato Académico com as piores notas.

Só duas escolas, uma pública e outra privada, obtiveram média negativa nos exames nacionais do secundário em 2020, segundo uma análise feita pela Lusa, que revela que os colégios continuam a ter melhores resultados. A Escola Secundária José Cardoso Pires (Lisboa) e o Externato Académico (Porto) são os únicos estabelecimentos de ensino com um resultado médio negativo nas provas realizadas no verão de 2020, segundo dados do Ministério da Educação e tendo em conta as 512 escolas com pelo menos cem provas realizadas.

Em Lisboa, a média dos alunos da Escola Secundária José Cardoso Pires, foi de 9,2 valores, no Porto os alunos do Externato Académico obtiveram média de 9,93. Todos os outros 510 estabelecimentos de ensino tiveram média positiva.

Comparando com o ano anterior, observa-se uma subida significativa das notas: dos 514 estabelecimentos analisados então pela Lusa, 104 tiveram média negativa nas provas realizadas em 2019, ou seja, uma em cada cinco escolas "chumbava".

As notas dos alunos subiram em 2020 devido às novas regras impostas pela pandemia de covid-19: por um lado, os testes tinham perguntas obrigatórias e opcionais, permitindo aos alunos escolher as questões em que se sentiam mais seguros, sendo contabilizadas apenas as melhores respostas.

Por outro lado, as provas só eram exigidas a quem quisesse seguir para o ensino superior, porque só contaram para a média de acesso às universidades e politécnicos, tendo deixado de ser obrigatórias para a conclusão do secundário.

O resultado foi uma subida de cerca de dois valores (numa escala de zero a 20) das notas médias dos estabelecimentos públicos e privados, tendo em conta os mais de 217 mil exames realizados no verão.

A média nacional dos alunos dos colégios foi de 14,39 valores (no ano anterior foi de 12,69) e das escolas públicas foi de 12,89 valores (10,95 no ano anterior), segundo uma análise da Lusa, que revela que se mantêm a tendência de subida ligeira da média das notas registadas nos últimos anos.

Com uma média de 17,61 valores, o Colégio Nossa Senhora do Rosário, no Porto, volta a ser a escola com a melhor nota do ranking elaborado pela Lusa, que excluiu os estabelecimentos de ensino com menos de 100 provas. Em 2020, o segundo lugar volta a ser ocupado pelo Colégio D. Diogo de Sousa, em Braga, seguindo-se o Grande Colégio Universal, no Porto.
Com uma média de 15 valores, a primeira escola pública é a Secundária Infanta Dona Maria, em Coimbra, e surge em 34.º lugar do ranking, o que significa que as escolas públicas voltam a descer na tabela geral, desta vez dois lugares.

Em 2019, a melhor pública foi a Básica e Secundária Dr. Serafim Leite, em São João da Madeira, que aparecia em 32.º lugar.

As notas da 1.ª fase dos exames melhoraram em todas as disciplinas, à exceção de Matemática Aplicada às Ciências Sociais.

Nesta subida média destacam-se disciplinas como Biologia e Geologia ou Geografia A, em que houve um aumento superior a três valores (numa escala de zero a 20).

Mais uma vez, as raparigas obtiveram melhores resultados, em especial em áreas como Matemática, Física e Química ou Espanhol, enquanto os rapazes foram melhores apenas a Geografia, História e Geometria Descritiva.

As alunas obtiveram uma média de 13,25 valores (em 2019 foi 11,27), enquanto os rapazes tiveram 12,85 (em 2019 foi de 11 valores), o que representa uma melhoria de cerca de dois valores em ambos os sexos (numa escala de zero a 20).

Em 2020, Viana do Castelo é o distrito com a melhor média nos exames nacionais do ensino secundário, seguindo-se Coimbra e o Porto.


Jornalista da Agência Lusa

Mais Notícias

Outras Notícias GMG