Acesso à praia de Faro interditado para evitar propagação da pandemia

A Câmara de Faro interditou esta sexta-feira o acesso à praia de Faro, parques de estacionamento da zona, e áreas pedonais e de lazer do concelho.

A medida entrou em vigor às 00:00 desta sexta-feira e vai manter-se até ao final do atual período do estado de emergência decretado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que termina às 23:59 de 30 de janeiro.

O município algarvio justificou a adoção da medida com a "situação excecional que se vive e que impôs a declaração do estado de emergência e do novo confinamento", e indicou que estão incluídas nesta interdição "o acesso à praia de Faro e respetivos parques de estacionamento (interior e exterior junto ao aeroporto)" e "o passadiço pedonal, de forma a minimizar o possível impacto ao nível da propagação" do novo coronavírus (SARS-CoV-2).

"Ficam ainda encerrados todos os espaços públicos em que habitualmente se verifica aglomeração de pessoas, tais como passadeiras, marginais, calçadões e praias", acrescentou a Câmara algarvia num comunicado. Foram estabelecidas, no entanto, exceções para "moradores para assistência e/ou entrega de bens essenciais a pessoas vulneráveis, pessoas com deficiência, filhos, progenitores, idosos ou dependentes, para desempenho de atividades profissionais ou equiparadas e situações de emergência", assegurou o município.

A Câmara de Faro justificou a aplicação destas interdições com a necessidade de "diminuir a probabilidade de contágio", e imprimir "um maior controlo dos casos de covid-19 e inverter o crescimento acelerado da pandemia" que se está a verificar em vários municípios do Algarve e do país. "O município de Faro entende que existe uma necessidade imperiosa de garantir a inexistência de aglomerados de pessoas e o controlo das distâncias de segurança, situação que se exacerba aos fins de semana, com o reporte de não cumprimento de algumas das recomendações emitidas pelas autoridades competentes, em especial em zonas pedonais e de lazer do concelho", acrescentou ainda.

As interdições aplicadas são idênticas às que foram aplicadas em outros municípios portugueses para contrariar a tendência de crescimento do número de casos de covid-19 registado em todo o país. Vila Real de Santo António, por exemplo, também no distrito de Faro, foi outra das autarquias do distrito de Faro que anunciaram o encerramento do acesso aos passadiços das praias do concelho para "evitar a aglomeração de pessoas" e "travar a propagação" de covid-19, face ao agravamento da pandemia.

As autoridades locais têm condicionada a entrada nos passadiços das praias de Santo António, Monte Gordo e Manta Rota, e só poderão circular nessas estruturas os proprietários e funcionários de restaurantes que aí operem e funcionem em regime de 'take-away', assim como os clientes que forem levantar pedidos, esclareceu o município no anúncio feito através das redes sociais.

A Câmara de Portimão também condicionou o acesso a várias zonas do litoral e espaços públicos no concelho algarvio para evitar a aglomeração de pessoas, e indicou que "foram colocadas baias e sinalização específica para condicionar o acesso e a permanência a zonas onde se tem verificado maior aglomeração de pessoas nos últimos dias". No entanto, os trabalhadores devidamente credenciados podem aceder aos espaços públicos condicionados pelo município de Portimão, que também proibiu a utilização dos bancos nos espaços públicos e jardins.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG