"A minha divisa?Não há problemas insolúveis. Há é falta de criatividade"

O famoso questionário respondido pelo presidente do conselho de administração da SPMS Luís Goes Pinheiro

A sua virtude preferida?
Criatividade e honestidade.

A qualidade que mais aprecia num homem?
Inteligência elevada.

A qualidade que mais aprecia numa mulher?
Inteligência elevada.

O que aprecia mais nos seus amigos?
Lealdade.

O seu principal defeito?
Pôr, demasiadas vezes, o trabalho à frente das outras dimensões relevantes da vida.

A sua ocupação preferida?
Gosto muito de resolver problemas e, antes da pandemia, gostava muito de viajar. Agora, sinto que me esqueci de como é bom viajar.

Qual é a sua ideia de "felicidade perfeita"?
Não sei. Acredito sempre que o melhor está para vir.

Um desgosto?
A morte do meu avô paterno.

O que é que gostaria de ser?
O que sou. Porém, talvez pudesse limar alguns defeitos.

Em que país gostaria de viver?
Em Portugal. O melhor país do mundo para se viver.

A cor preferida?
Azul. Azul e branco, aliás.

A flor de que gosta?
Não gosto muito de flores: sou alérgico a pólen. Abro, todavia, uma exceção para os cravos vermelhos.

O pássaro que prefere?
Umas vezes, o que tenho na mão. Outras, os que estão a voar.

O autor preferido em prosa?
Kafka.

Poetas preferidos?
Leio pouca poesia. Tenho de ler mais. Como português, sinto-me minúsculo ao pé de Camões e de Pessoa.

O seu herói da ficção?
Sherlock Holmes.

Heroínas favoritas na ficção?
Não conheço nenhuma que me impressione por comparação com os feitos das mulheres reais.

Os heróis da vida real?
No último ano e meio conheci muitas e muitos.

As heroínas históricas?
Tantas. Num mundo em que o campo é tão desfavoravelmente inclinado para as mulheres. Basta ser mãe, trabalhadora e mulher para se ser uma heroína.

Os pintores preferidos?
Olho para a arte plástica como saboreio vinhos: sei pouco sobre o assunto, mas gosto ou não gosto e isso basta-me. Sempre que vi um quadro de Van Gogh achei que era o meu pintor favorito, mas já me deixei maravilhar com a perfeição de Rembrandt ou com o impacto icónico das obras familiares de Da Vinci, Michelangelo ou Botticelli. Também gosto de Matisse e de Dalí... E de Monet e de Klimt. E de Warhol. Todos de cepas e safras bem distintas.

Compositores preferidos?
Depende do momento. A música apetece de maneira tão diferente consoante o estado de espírito.

Os seus nomes preferidos?
Filipe, Vasco, Margarida e João.

O que detesta acima de tudo?
A morte.

A personagem histórica que mais despreza?
Hitler. Por ele e por todos os nazis que gerou.

O feito militar que mais admira?
O 25 de abril.

O dom da natureza que gostaria de ter?
A imortalidade.

Como gostaria de morrer?
Não gostaria.

Estado de espírito atual?
Pronto para continuar a lutar.

Os erros que lhe inspiram maior indulgência?
Os erros assumidos e não repetidos.

A sua divisa?
Não há problemas insolúveis. Há é falta de criatividade.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG