Desde setembro que não havia tão poucos casos

Boletim da DGS revela terem morrido oito doentes nas últimas 24 horas, período durante o qual foram reportados 457 infetados. O número de pessoas internadas continua a descer.

Oito mortos e 457 novos infetados é o balanço dos efeitos da pandemia covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas, segundo o boletim de hoje da DGS.

Não se registavam tão poucos óbitos diários em Portugal por causa da covid-19 desde o dia dia 14 de outubro (sete), sendo preciso recuar a 4 de setembro (406 infetados) para encontrar menos casos que os registados no boletim deste sábado.

A maioria das mortes (seis) ocorreu na região de Lisboa e Vale do Tejo. As outras duas foram na região Centro. Norte, Sul e Regiões Autónomas não registaram nenhuma morte.

Desde o início da pandemia foram infetadas 817 mil pessoas e morreram já 16 762.

A região de Lisboa continua também a concentrar o maior número de novas infeções (mais 182), seguida do Norte (137), do Centro (50), do Algarve (25) e do Alentejo (24).

O número total de doentes internados baixou para 744, menos 45 do que na sexta-feira.

Nas unidades de cuidados intensivos (UCI) estão 170 doentes internados, 12 do que na sexta-feira.

O R (t) está em Portugal mantém-se como ontem nos 0,86, com uma taxa de 87,2 casos de infeção por 100 000 habitantes. No continente o R (t) está em 0,84 no continente, com uma taxa menor de infeção: 75,7 casos por 100 000 habitantes. Na matriz de risco, o país continua no verde.

Neste sábado há um total de 33 394 casos ativos com infeção. Há ainda 817 080 pessoas em vigilância, menos 181 que no dia anterior.

Nas últimas 24 horas recuperaram da doença mais 754 pessoas, com o número total de 766 924 desde o início da pandemia.

700 lares apoiados

A Linha Covid Lares, criada em outubro, já ajudou mais de 700 instituições que viveram casos de infeção com o novo coronavirus e, segundo o responsável, permitiu evitar centenas de surtos ao longo deste período.

De outubro de 2020 a março deste ano a linha recebeu 1.458 chamadas de 782 lares de idosos em Portugal.

Nuno Marques, do ABC-Algarve Biomedical Center, responsável pela Linha Covid Lares explicou em declarações à agência Lusa que várias centenas de surtos foram evitados com o agilizar de procedimentos premido pela linha que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.

Face à ocorrência de casos de covid-19 no seu espaço os lares passaram a ter um interlocutor direto com o objetivo de agilizar os procedimentos.

"Sentem que há alguém que os ajuda a resolver a questão com que se confrontam, sendo a linha usada para encontrar soluções, encaminhar o assunto de imediato para as instituições respetivas e fazer o acompanhamento do caso", disse.

Um dos objetivos é evitar que as situações de risco se descontrolem.

A Linha Covid Lares resulta de uma parceria entre a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e o ABC-Algarve Biomedical Center, inserindo-se no programa integrado do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social de apoio aos lares.

Através do número (707 20 70 70), os lares de todo o país passaram a dispor de apoio.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG