237 quilómetros. Recorde de distância batido em voo de parapente

O recorde do piloto Eusébio Soares de distância em parapente percorreu um total de 237,3 quilómetros em distância livre em 6 horas e 28 minutos, tendo aterrado em Fuentemilanos, a cerca de 15 quilómetros de Segóvia (Madrid).

O piloto Eusébio Soares bateu este fim-de-semana o recorde de distância em parapente a partir da Serra de Bornes, em Macedo de Cavaleiros. O piloto português do BôAr Parapente Clube alcançou-o durante um evento que serviu para inaugurar a nova pista de descolagem de parapente na vertente Este da Serra de Bornes.

O recorde de distância em parapente pelo piloto percorreu um total de 237,3 quilómetros em distância livre em 6 horas e 28 minutos, tendo aterrado em Fuentemilanos, a cerca de 15 quilómetros de Segóvia (Madrid). A marca anterior para esta pista da Serra de Bornes estava nos 100 quilómetros.

Nesta ação participaram cerca de 50 pilotos nacionais de diferentes zonas do país e a iniciativa teve o apoio do Município de Macedo de Cavaleiros que serviu, igualmente, para experienciar a primeira pista criada na Serra de Bornes tendo sido renovada pela autarquia macedense.

"São resultados muito interessantes e que nos deixam muito satisfeitos, pois tivemos um total de seis pilotos a voar acima da marca dos 100 quilómetros, o máximo anterior da primeira pista da Serra de Bornes", explica o vereador Rui Vilarinho. De acordo com o responsável pela pasta do Desporto no concelho, "a Serra de Bornes, como é sabido, apresenta condições excecionais para a prática de parapente e asa delta, o que nos levou, inclusive, a organizar aqui, em 2019, o Aziborne Extreme". Explica o vereador, com duas rampas de descolagem "estão criadas as condições para aspirarmos a outros voos e termos aqui provas de cariz nacional e até internacional".

António Oliveira, dirigente do BôAr Parapente Clube, destaca o empenho do município macedense no apoio à modalidade. "Fez-se algo inédito a nível nacional e foi importante porque nunca tivemos tanto apoio da parte de um município", remata. "Na Serra de Bornes havia uma descolagem que era feita em terrenos privados e os mesmos foram adquiridos pela Câmara de Macedo, propositadamente, para o desenvolvimento da modalidade e aumentar o quadrante e segurança na descolagem, com a limpeza do terreno", acrescenta.

Rui Vilarinho refere que "é importante atrair para o nosso território estes desportos radicais, que podem projetar o nome do nosso ​​​​​​​concelho e do nosso território, uma vez que temos aqui condições ímpares para a prática de alguns dos mais entusiasmantes desportos".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG