Vivenda de Óbidos é "claramente uma base" da ETA

O presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo (OSCOT) disse hoje que a vivenda de Óbidos identificada pelas autoridades é "claramente uma base" da ETA em Portugal e admitiu que poderão existir outras casas no país.

"É uma base, claramente", disse à agência Lusa José Manuel Anes, adiantando que a vivenda de Óbidos identificada quinta feira pelas autoridades portuguesas com material explosivo "era um poiso" onde a ETA "guardavam as coisas".

Para o especialista em terrorismo, esta base provavelmente era "temporária", uma vez que os elementos da organização terrorista basca "normalmente estão num sítio e quando se vêem demasiado observados estabelecem-se noutro".

O presidente do OSCOT adiantou que actualmente o objectivo da ETA "é estabelecer uma base" em Portugal, porque "não o podem fazer em França e Espanha".

Por isso, sustentou que a presença de elementos da organização em Portugal não tem qualquer risco para a segurança interna, tendo em conta que não têm, "nesta fase", a intenção de fazer qualquer acção no país.

"Eles precisam muito de Portugal. Logo, se eles fizessem uma acção em Portugal, eles iam comprometer o objectivo principal", disse, acrescentando que a base em Portugal tem como finalidade "atacar objectivos em Espanha".

José Manuel Anes sublinhou igualmente que "não se excluiu a hipótese de haver mais uma ou outras casas em Portugal".

O responsável destacou o trabalho "muito sério" que a Unidade Nacional Contra o Terrorismo da PJ está a efectuar "em colaboração estreita com o SIS".

A vivenda em Portugal foi descoberta poucas semanas depois da operação que levou à captura em Torre de Moncorvo de dois alegados membros da ETA, em relação aos quais pendem actualmente pedidos de extradição das autoridades espanholas.

Desde esta altura que "a PSP e a GNR estão com a atenção redobrada", disse, sublinhando a colaboração com os espanhóis através da troca de informações.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG