Vilarinho alegou estar doente para não ir a tribunal

O ex-presidente do Benfica deveria ter comparecido esta segunda-feira no tribunal de pequena instância criminal de Lisboa para responder pelo crime de coação e resistência a agente da autoridade.

Manuel Vilarinho não compareceu esta segunda-feira no tribunal de pequena instância criminal de Lisboa, como estava notificado. Segundo apurou o DN, o advogado que o representa alegou que Manuel Vilarinho não pôde estar presente por motivos de saúde. Não foi possível saber se ficou agendada alguma próxima data para a sessão.

O ex-presidente do Benfica foi detido no sábado por coação e resistência a agente da autoridade durante uma operação de fiscalização de trânsito em Lisboa. Foi também multado por excesso de álcool no sangue.

A detenção do ex-presidente benfiquista ocorreu "por volta das 9.30 da manhã, no âmbito de uma fiscalização de trânsito normal" na Avenida de Ceuta, em Lisboa.

Manuel Vilarinho fez o teste de alcoolémia e acusou álcool. "Foi uma taxa mínima e foi alvo de uma contra-ordenação", explicou então fonte da PSP ao DN.

O antigo dirigente desportivo acabaria por ser detido mais tarde por "coação e resistência a agente da autoridade", indicou a mesma fonte, esclarecendo que Manuel Vilarinho foi detido no local "durante a elaboração do expediente", tendo sido libertado e "notificado para ir a tribunal" no próximo dia útil (segunda-feira).

Manuel Vilarinho foi presidente da direção do Benfica entre 2000 e 2003.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG