Utentes da A23, A24 e A25 garantem novos protestos

A comissão de utentes das autoestradas A23, A24 e A25 reagiu hoje ao anúncio do fim das isenções nestas antigas SCUT reafirmando a manutenção dos protestos "até que sejam extintas as portagens nestas vias".

Francisco Almeida, porta-voz da comissão de luta contra as portagens nestas três antigas vias Sem Custos para os Utilizadores, deixou o aviso: "Os beirões não são parvos e sabem dar a resposta devida às injustiças".

O governo anunciou hoje que o novo regime de pagamento nas ex-SCUT se traduz em tarifas 15% mais baixas ao mesmo tempo que terminam as 10 isenções mensais.

"O que este anúncio feito hoje pelo governo significa é apenas a extinção das isenções, porque o desconto de 15% é irrelevante. Já existia. O forte impacto negativo na economia da região, com o desemprego à cabeça, permanecerá", adiantou.

Este membro da comissão defende ainda que acrescentar um desconto adicional de 25% para as empresas no período da noite "é risível" porque, justificou, "nenhuma, ou quase nenhuma, vai usufruir porque os motoristas têm o seu tempo de trabalho durante o dia".

"Todas as ações de protesto que tínhamos previsto para os próximos meses vão manter-se e, provavelmente, outras surgirão, porque isto é fazer das pessoas parvas", avisou.

Sobre as novas tarifas, as empresas transportadoras de mercadorias continuarão a beneficiar de um desconto adicional de dez por cento nas passagens, durante o dia, e de 25%, à noite.

Este novo regime de cobrança abrange os utilizadores e empresas residentes abrangidos por sete ex-SCUT: Costa da Prata, Grande Porto, Norte Litoral, Algarve, Beiras Litoral e Alta, Beira Interior e Interior Norte.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG