Tribunal aceita candidatura de Isaltino Morais à câmara de Oeiras

Candidatura de Sónia Amado Gonçalves também foi readmitida em sede de recurso judicial.

A candidatura de Isaltino Morais à câmara de Oeiras considerou esta que a decisão judicial desta segunda-feira "vem repor a normalidade no processo eleitoral em Oeiras".

O tribunal decidiu esta tarde readmitir as candidaturas independentes de Isaltino Morais e de Sónia Amado Gonçalves a Oeiras, aceitando o recurso interposto contra a decisão judicial que as chumbara por alegadas irregularidades na obtenção das assinaturas necessárias.

"Esta decisão vem repor a normalidade no processo eleitoral em Oeiras, devolvendo aos cidadãos oeirenses o poder de decisão sobre quem deve governar Oeiras", pelo que "agora é o tempo de todas as candidaturas apresentarem as suas propostas aos eleitores", lê-se no comunicado da candidatura de Isaltino Morais.

O prazo de reavaliação dos recursos terminava às 15:00 de terça-feira, mas o facto de ser feriado terá determinado o anúncio da decisão para esta tarde.

As candidaturas independentes de Isaltino Morais e Sónia Amado Gonçalves foram rejeitadas por alegadas irregularidades na recolha de assinaturas por um juiz com ligações pessoais ao atual presidente e recandidato ao cargo, Paulo Vistas.

Ambas as candidaturas negaram existir quaisquer irregularidades e recorreram da decisão, alegando suspeitas de favorecimento do juiz Nuno Cardoso a Paulo Vistas.

Soube-se entretanto que o juiz Nuno Cardoso se ofereceu para estar de turno no Tribunal de Oeiras durante os primeiros dias deste mês, período que já terminou e por isso o leva a não ter qualquer influência adicional no processo.

O Conselho Superior da Magistratura abriu já um inquérito ao caso.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG