Tratamento da dor é um Direito Humano Fundamental

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) juntou-se a mais de 50 instituições em todo o mundo, que querem assegurar o reconhecimento do acesso ao tratamento da dor como um Direito Humano Fundamental. Esta decisão foi efectivada com a assinatura da Declaração de Montreal.

"A Declaração de Montreal enfatiza que 5 milhões de pessoas em todo o mundo vivem em países com inadequado ou insuficiente acesso ao tratamento da dor. Com esta declaração, o objectivo é garantir que os países tenham conhecimento e apoio para estabelecer leis, políticas e sistemas que possam ajudar as pessoas que sofrem de dor a receber assistência adequada", explica o médico Duarte Correia, presidente da APED.

O presidente da associação recorda igualmente que "a dor crónica é um problema de saúde significativo que afecta mais de três milhões de portugueses, e por isso, consideramos que a falta de oferta de tratamento adequado da dor é uma violação dos Direitos Humanos de um paciente".

Segundo a APED, a lombalgia crónica, a osteoartrose, as cefaleias e artrite reumatóide são algumas das causas mais frequentes de dor crónica. Sendo que se esta dor não for tratada de forma adequada, a qualidade de vida das pessoas poderá ser gravemente afectada, podendo conduzir à incapacidade para o trabalho.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG