Top 5 dos hospitais: Só Cascais quebra domínio do Norte

Na lista das melhores unidades estão duas parcerias público-privadas. Entre os 15 nomeados havia apenas quatro hospitais a sul do Tejo. Mortalidade, complicações e tempo de internamento foram alguns dos critérios avaliados

Estão escolhidos os cinco melhores hospitais do país e as unidades do Norte voltam a estar em destaque. O pleno no "top 5" só não é alcançado porque o hospital de Cascais, uma parceria público-privada cuja continuidade tem de ser avaliada até ao final do ano, conseguiu ficar em primeiro lugar no seu grupo - este top é composto pelos cinco melhores em cada grupo. A par, estão o Centro Hospitalar Gaia/Espinho, Hospital de Braga (também PPP), Centro Hospitalar do Porto e Unidade Local de Saúde de Matosinhos. A mortalidade, as complicações, custos e tempo de internamento foram alguns dos critérios avaliados.

Este é o terceiro ano consecutivo em que a IASIST - empresa empresa multinacional que se dedica à realização de estudos de benchmarking - avalia o desempenho de 41 dos 50 hospitais públicos. as unidades são divididas em cinco grupos, seguindo os mesmo parâmetros usados pela Administração Central do Sistema de Saúde, que têm em conta a dimensão e diferenciação das várias unidades e um outro apenas para as Unidades Locais de Saúde (ULS).

De fora desta avaliação ficam os institutos portugueses de oncologia, hospitais psiquiátricos e Instituto Gama Pinto, por serem dedicados a áreas muito específicas.

O ranking tem o patrocínio oficial do Ministério da Saúde. "São vários os indicadores pelos quais os hospitais foram avaliados. A primeira dimensão que avaliamos é a qualidade. Neste campo analisamos a mortalidade intrahospitalar, complicações e readmissões. Depois, temos o grupo da adequação, onde avaliamos a cirurgia de ambulatório - se foram operados o número de doentes de acordo com o esperado -, e a parte da eficiência com critérios como o tempo de internamento, os custos operacionais por doente padrão, o número de doentes por médico em tempo completo e o número de doentes por enfermeiro", explica João Completo, da IASIST Portugal, que já teve como diretor geral o atual secretário de Estado da Saúde Manuel Delgado.

Da avaliação resultou uma lista de 15 nomeados, os três primeiros de cada um dos cinco grupos. E seguindo a tendência do passado, são os hospitais do Norte que estão em maioria, com seis. Lisboa e Vale do Tejo tem três - todas parcerias público-privadas, Loures, Cascais e Vila Franca de Xira -, o Centro dois e o Alentejo um.

No grupo E, onde estão os seis maiores e mais diferenciados hospitais do país, foram nomeados os centros hospitalares do Porto, S. João e Universitário de Coimbra. Nenhuma das unidades de Lisboa chegou à lista.

"Historicamente têm ganho os hospitais do Norte e as parcerias público-privadas têm ficado bem classificadas porque conseguem bons resultados por razões de organização interna e de eficiência", adianta João Completo. O responsável explica que os hospitais top "conseguem ter mais qualidade com tempos de internamento mais curtos, fazem mais cirurgias de ambulatório com demora média mais baixa, têm menos readmissões e fazem mais com menos despesa".

Fernando Araújo, secretário de Estado da Saúde, no discurso final, lembrou a importância do SNS, o impacto que teve na saúde dos portugueses e as medidas que têm sido tomadas para melhorar o acesso, como a livre escolha, a receita eletrónica e a reformulação da gestão dos hospitais. "É importante premiar a excelência e espero que desperte nos outros a vontade de melhorar a cada oportunidade".

Cada um dos hospitais, todos os que participaram na avaliação, irão depois receber a sua avaliação e o lugar em que ficaram na lista global. "Estes dados vão permitir aos hospitais saber quais os pontos em que têm margem para melhorar. Para os doentes, estes são indicadores que lhes tocam diretamente e faz todo o sentido estarem informados. O Ministério, este e o anterior, tem feito um esforço para que esta informação seja passada ao utente", acrescenta.

Lista de vencedores
Grupo B: Centro Hospitalar Póvoa do Varzim/Vila do Conde, EPE
Grupo C (Hospitais de média dimensão): Hospital de Cascais
Grupo D: Hospital de Braga
Grupo E (Hospitais maiores e mais diferenciados): Centro Hospitalar do Porto, EPE
Grupo ULS (Unidades locais): Unidade Local de Saúde de Matosinhos, EPE


Lista do nomeados
Grupo B: Hospital Santa Maria Maior (Barcelos); Hospital Vila Franca de Xira; Centro Hospitalar Póvoa do Varzim/Vila do Conde
Grupo C: Centro Hospitalar Tâmega e Sousa; Hospital de Cascais; Hospital Beatriz Ângelo
Grupo D: Hospital de Braga; Centro Hospitalar Tondela-Viseu; Hospital Espírito Santo (Évora)
Grupo E: Centro Hospitalar do Porto; Centro Hospitalar de São João; Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Grupo ULS: Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Unidade Local de Saúde de Matosinhos; Unidade Local de Saúde Nordeste

Mais Notícias

Outras Notícias GMG