Suspeito de fogo posto na Covilhã identificado pela PJ

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta sexta-feira, que identificou, constituiu como arguido e apresentou nos serviços do Ministério Público da Covilhã o presumível autor de um incêndio florestal ocorrido na quarta-feira, no Teixoso.

De acordo com uma nota do Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda, o incêndio foi causado pelo "uso indevido de uma motorroçadora, na limpeza de terrenos com lâmina de corte em zona florestal", operação proibida durante a época crítica de incêndios florestais, classificada como "Fase Charlie".

O fogo consumiu cerca de um hectare de mato com giestas, pinheiros bravos e carvalhos, pondo ainda em risco duas habitações, "não tendo tido consequências mais graves graças à pronta intervenção dos Bombeiros Voluntários da Covilhã", que contaram com a colaboração de dois helicópteros, refere a fonte.

O suspeito, depois de apresentado às autoridades judiciárias competentes, para além de outras medidas "está obrigado a prestar trabalho comunitário", indica a nota.

No corrente ano, a PJ já procedeu à identificação e detenção de 18 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG