Trio armado assalta moradia no Ancão

Os ladrões, encapuzados, levaram 600 euros, e terão fugido para um pinhal quando tocou o alarme. Na moradia estavam dois casais, mas não houve violência.

Três homens encapuzados e empunhando armas de fogo assaltaram, na quarta-feira, cerca das 21.00, uma vivenda no Clube do Ancão, situado entre as zonas de Vale do Lobo e da Quinta do Lago, no concelho de Loulé, quando um casal estrangeiro, proprietário do imóvel onde reside há mais de dez anos, jantava com dois familiares.

 

Segundo apurou o DN, os gatunos levaram 600 euros, mas contrário do sucedido noutros assaltos do género no Algarve, desta vez não houve violência. Os donos da moradia - um inglês, com cerca de 50 anos, e uma holandesa, de 40 anos - passaram a maior parte do dia de ontem nas instalações da Policia Judiciária, em Faro, onde foram ouvidos, tal como outras testemunhas do assalto, que são os pais da senhora. À noite, a PJ inspeccionou a casa para clarificar certas questões em face dos depoimentos prestados.


“Ouvi o alarme tocar, mas já não vi os assaltantes fugirem. Desapareceram pelas traseiras da moradia, no pinhal, numa altura em que chovia bastante e nada se via”, contou ao DN uma vizinha do casal. De acordo com a versão das vítimas àquela residente, de nacionalidade holandesa, o assalto “foi muito rápido e os gatunos entraram nem se sabe por onde. Depois, a GNR chegou muito depressa ao local. Fantástico”.

 

“Há muito tempo que receamos assaltos nesta zona e não sabemos o que fazer”, acrescentou. A vivenda, constituída por rés-do-chão e primeiro andar, está rodeada por pinheiros e muros com pouco mais de um metro de altura. É o segundo assalto de que é alvo, depois de, em 2009, terem sido dali levados uma televisão e equipamento electrónico.

 

As recém-criadas brigadas mistas compostas por elementos da PJ, GNR, PSP, SEF e magistrados do Ministério Público, no Algarve, estão a referenciar as milhares de habitações isoladas no interior desta região e na sua maioria pertencentes a estrangeiros idosos ali residentes, bem como as moradias de luxo situadas noutras zonas, de forma a poderem chegar mais rápido em caso de assalto. “Ainda é prematuro falar em resultados”, referiu ao DN o presidente da Câmara Municipal de Loulé, Seruca Emídio, acrescentando, por outro lado, ser “notório” o reforço de efectivos da GNR nas ruas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG