PSP deteve barricado e libertou a família

(Atualizada às 05:30) O homem que mantinha a mulher e a filha de 14 meses sob sequestro desde as 19:30 de segunda-feira, num apartamento nos Olivais, em Lisboa, foi detido já na madrugada de terça-feira pela Polícia.

Um Grupo de Operações Especiais de Segurança (GOE) da Unidade Especial de Polícia da Polícia de Segurança Pública (PSP) procedeu, na madrugada desta terça-feira, já depois das 03.00, nos Olivais, Lisboa, à detenção de um indivíduo de 45 anos que, desde as 19.30 de segunda-feira, dia 30, mantinha a mulher e a filha de 14 meses, sob sequestro na habitação em que residem na Avenida Cidade da Beira.

Foram entre oito e nove horas de indefinição, nos Olivais, que terminaram com a detenção do homem, que sofreu ferimentos na mão direita e foi, posteriormente, conduzido a uma esquadra em Lisboa pela Divisão de Investigação Criminal de Lisboa.

A polícia entrou no apartamento, um terceiro andar, já depois das 03.00. A mulher foi a primeira a ser retirada da habitação. A bebé de 14 meses saiu numa segunda fase. Ambas estão bem.

A Polícia irá, agora, redigir o auto de notícia e dar conhecimento da situação em causa ao Ministério Público, sendo que o indivíduo, que disparou tiros dirigidos aos agentes da autoridade, será alvo, tudo o indica, de uma acusação do Ministério Público e, igualmente, conduzido a um juiz para ser ouvido, o que deverá acontecer com celeridade.

A PSP foi chamada à rua Cidade da Beira, nos Olivais, pelas 19.30 horas de segunda-feira, 30 de setembro, tendo permanecido no local. A área esteve vedada ao trânsito desde essa mesma hora até para lá das 04.00 da manhã desta terça-feira, dia 1.

Por volta das 01:00 da manhã houve rendição do corpo policial na área, onde já se contabilizavam, pelo menos, dez veículos da Polícia, entre carros e carrinhas.

A Unidade Especial de Polícia iniciou as negociações, que se prolongaram até perto das 03.00, com o homem de 45 anos, que estava armado.

O prédio, de dez andares, não foi evacuada pelas autoridades, sendo visíveis luzes noutros apartamentos até depois das 04.00. Alguns curiosos permaneceram no local, até que as conclusões da ocorrência, cerca das 04.30 da manhã desta terça-feira.

Jairo Campos, sub-comissário da Polícia de Segurança Pública (PSP), explicou que a Unidade Especial de Polícia começou a encetar negociações com o homem às 21:30 de segunda-feira, com "o objetivo de que o sequestro termine sem intervenção policial", esclareceu.

"O período de negociação pode ser longo", afirmou, à comunicação social, perto das 23.30 de segunda-feira . As negociações decorriam ainda por volta das 02.00, com interrupções, desconhecendo-se quais as exigências do suspeito. Algo que, ainda, nesta altura, não foi possível apurar.

Ao que o DN soube, o homem terá alegadamente perturbações psicológicas e antecedentes criminais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG