Metro de Lisboa parado. Carris reforça 4 carreiras

A circulação no metropolitano de Lisboa foi hoje paralisada às 00:00 devido ao início da greve de 24 horas. À tarde, a situação piora com a possibilidade de as ligações fluviais no Tejo poderem ser interrompidas.

De acordo com António Laires, do Sindicato Independente da Manutenção do Metropolitano de Lisboa (SINDEM), as portas de várias estações de metropolitano começaram a encerrar a partir das 23:30 de quarta-feira, mas a circulação foi paralisada a partir das 00:00.

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa agendaram a paralisação depois de 36 organizações sindicais e comissões de trabalhadores do setor dos transportes terem decidido avançar com uma quinzena de greves, que começou a 25 de outubro e se prolonga até 08 de novembro.

Os trabalhadores protestam contra as propostas do Orçamento do Estado para 2014, como a concessão dos serviços a privados e a redução das indemnizações compensatórias às empresas.

Desta vez, o Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social não decretou serviços mínimos para a greve dos trabalhadores do metro.

A Carris, que foi fundida com o Metro de Lisboa, vai reforçar quatro carreiras, em percursos coincidentes com os eixos servidos pelo Metropolitano de Lisboa. São elas as carreiras 726 (Sapadores-Pontinha Centro), 736 (Cais do Sodré-Odivelas), 744 (Marquês de Pombal-Moscavide) e 746 (Marquês de Pombal-Estação Damaia).

À greve do Metro junta-se a possibilidade de as ligações fluviais no rio Tejo na região de Lisboa poderem ser interrompidas durante a tarde devido a um plenário dos trabalhadores.

Segundo a Transtejo, a ligação entre Cacilhas e o Cais do Sodré deve parar entre as 14:20 e as 17:45, enquanto a carreira entre o Seixal e o Cais do Sodré para entre as 13:00 e as 17:50.

Já a ligação do Montijo para Lisboa deve parar entre as 13:30 e as 18:00, enquanto a carreira da Trafaria para Belém deve estar interrompida entre as 13:00 e as 18:00.

Por fim, a ligação entre o Barreiro e o Terreiro do Paço vai parar entre as 13:25 e as 16:20.

"Caso se verifique a paralisação das carreiras, os terminais de passageiros serão encerrados nos períodos em causa, por questões de segurança", acrescentou a empresa.

Mais Notícias