Festa Ibérica da Olaria e do Barro junta 58 olarias

Cinquenta e oito olarias de Portugal e Espanha marcam presença na 18.ª Festa Ibérica da Olaria e do Barro, que arranca esta sexta-feira, em Salvatierra de los Barros, na Estremadura espanhola, foi hoje divulgado.

O evento decorre até domingo e é promovido por uma associação de Salvatierra de los Barros, em conjunto com o município de Reguengos de Monsaraz e a Junta de Freguesia de Corval.

A Festa Ibérica da Olaria e do Barro junta os dois maiores centros oleiros da Península Ibérica, o português de S. Pedro do Corval (Reguengos de Monsaraz) e o espanhol de Salvatierra de los Barros (Badajoz).

Esta 18.ª edição, informou o município de Reguengos de Monsaraz, conta com a presença de 58 olarias, 19 das quais de S. Pedro do Corval e 17 de Salvatierra de los Barros, sendo as restantes oriundas de outros concelhos portugueses e espanhóis.

A promoção, em termos culturais e turísticos, da olaria enquanto "importante manifestação artística e artesanal" é o objetivo do certame transfronteiriço, organizado, em anos alternados, em Portugal e Espanha.

"Com esta iniciativa, pretende-se valorizar a olaria, chamar a atenção para o seu valor artesanal e artístico e apontar estratégias para o seu desenvolvimento económico e profissional", reforçou a autarquia alentejana.

Um dos pontos altos da feira deste ano acontece no primeiro dia, às 12:00, com a apresentação de uma talha com quatro metros de altura, criada por 16 artesãos que, ao longo de dois meses, aplicaram na peça "técnicas inovadoras".

A talha vai ficar colocada à entrada de Salvatierra de los Barros, como "símbolo da indústria oleira desta vila espanhola", acrescenta o município português.

Demonstrações ao vivo de olaria, espetáculos musicais e conferências sobre a temática em foco no certame são outras das atividades que constam do programa.

A Festa Ibérica da Olaria e do Barro "nasceu" em 1995, na sequência de um protocolo estabelecido entre o município de Reguengos de Monsaraz e o Ayuntamiento de Salvatierra de los Barros.

O Centro Oleiro de S. Pedro do Corval, assegura a autarquia, "é considerado o maior de Portugal", com 22 olarias em atividade, nas quais se "continuam a pintar os motivos típicos do Alentejo, como o pastor, a apanha da azeitona e a vindima".

Em S. Pedro do Corval, a olaria remonta, pelo menos, ao período árabe, "conforme o atesta o teor do Foral Afonsino outorgado a Monsaraz, em 1276, mas também a linguagem e a terminologia muito próprias ainda em uso".

O município registou, em 2008, no Instituto Nacional da Propriedade Industrial, as marcas nacionais "Olaria de São Pedro do Corval", "Rota da Olaria", "Rota dos Oleiros" e "Olaria".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG