Alternativas para evitar CREL fechada ao trânsito

O troço da CREL (A9) entre Queluz e Pontinha, na área limítrofe de Lisboa, continua encerrado devido ao deslizamento de terras que ocorreu na manhã de sexta-feira. A Brisa e as autoridades policiais já traçaram percursos alternativos para os condutores evitarem aquele troço.

Os trabalhos para resolver o problema do deslizamento de terras na CREL e reabrir o troço entre Queluz e Pontinha ainda deverão prolongar-se por "alguns dias", disse ao DN fonte da Brisa, empresa responsável por esta auto-estrada, que aconselha os automobilistas a evitarem entrar na CREL, seguindo os percursos alternativos assinalados.

"Quem estiver na A5 e quiser ir para a zona Norte de Lisboa, como Odivelas ou Loures, deve seguir na A5 até ao centro de Lisboa e depois utilizar a CRIL ou a 2ª Circular", explicou a mesma fonte.

Segundo referiu, "quem vem da zona Norte de Lisboa, proveniente da A8 ou da A1, não deve entrar na CREL. Deve seguir para Lisboa e utilizar a 2ª Circular ou o Eixo Norte-Sul".

Acrescentou que "os veículos pesados que vêm da zona Norte de Lisboa, devem seguir as alternativas anteriores ou então vão pela CREL até ao Nó de Odivelas e depois seguem pelo IC22 e pelo Eixo Norte-Sul".

"Quem vem da Ponte Vasco da Gama ou da zona de Loures, está no IC16 e quer ir para Oeiras, Carcavelos ou outras localidades da linha de Cascais, deve sair no Nó de Belas e seguir a sinalização de desvio no sentido Belas-Idanha-A16, que vai até Cascais", disse a mesma fonte, adiantando que "já está tudo a ser devidamente sinalizado e haverá equipas de apoio da PSP".

"Quem estiver no IC16 pode sair para a Amadora, junto ao Dolce Vita Tejo, e entrar no IC19", refere a mesma fonte.


 

Mais Notícias

Outras Notícias GMG