Sucateiros não vão pagar em dinheiro

As sucateiras vão ser proibidas de pagar materiais em dinheiro e obrigadas a registar todo o equipamento, no âmbito das medidas definidas pelo Governo para prevenir os furtos de cobre

As medidas foram hoje, sexta-feira, anunciadas pelo secretário de Estado Adjunto do ministro da Administração Interna, Juvenal da Silva Peneda, num encontro nacional de sucateiros, a decorrer em Lisboa, numa iniciativa da Associação Portuguesa dos Operadores de Resíduos e Recicladores.

O Governo vai também permitir que as sucateiras instalem sistemas de videovigilância, tendo em conta que as próprias empresas também estão a ser alvo de assaltos.

Outra das iniciativas preventivas traduz-se em facilitar o acesso da GNR às sucateiras, permitindo uma "entrada direta" por parte desta força de segurança sem ser necessário um mandado judicial.

Segundo o MAI, as sucateiras só vão poder pagar os materiais que recebem em cheque, multibanco ou transferência bancária, além de passar a ser obrigatória a existência de um guia do material existente na empresa para que os equipamentos sejam todos registados.

Estas medidas do Governo para prevenir o furto de cobre resultaram de vários encontros entre as empresas e as forças de segurança.

O roubo de cobre mais do que duplicou em 2011, ano em que se registaram, em média, 790 furtos por mês, num total de 9491, revelou hoje a GNR.

Os números mostram igualmente que as ocorrências do furto de metais quase triplicaram no ano passado face a 2010, tendo passado das 4946 para as 12.624.

Segundo a GNR, entre os metais roubados, o cobre é o alvo mais apetecível e, no ano passado, 73 por cento das ocorrências estiveram relacionadas com este material, seguindo-se o ferro (12%) e o alumínio (6%).

O roubo de cobre é um problema internacional, sendo já considerado o segundo crime prioritário a combater pelas autoridades dos Estados Unidos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG