Serenata na Sé Velha festeja Património Mundial

Mais de um milhar de pessoas concentraram-se esta noite no Largo da Sé Velha, em Coimbra, para assistirem a uma serenata para festejar a inscrição da Universidade e Rua da Sofia na lista de Património Mundial.

A serenata, que teve início à meia-noite, na escadaria da catedral (também ela, como a praça que lhe deve o nome, integrada na área classificada pela UNESCO) foi "organizada de forma espontânea", essencialmente através das redes sociais, por músicos e cantores de Coimbra, ao meio da tarde, disse, à agência Lusa, um dos promotores da iniciativa.

Aos músicos e cantores de Coimbra promotores da iniciativa pareceu-lhes que "era necessário celebrar" a decisão da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) de classificar a Universidade Alta e Rua da Sofia como Património da Humanidade, e que "uma de melhores maneiras" de o fazer seria com uma serenata, explicou José Manuel Vilhena, um dos participantes no espetáculo.

"Tanta gente que se reuniu aqui sem convocatória, para comemorar" a decisão da UNESCO, sublinhou aos jornalistas, no final da serenata, o reitor da Universidade de Coimbra (UC), João Gabriel Silva.

Afirmando-se "muito sensibilizado" pela espontaneidade com que as pessoas aderiram a esta festa e o modo, igualmente espontâneo, como ela surgiu, o reitor salientou que o reconhecimento da Universidade como Património da Humanidade "não pode ser encarado como um fim, mas um princípio".

Vários anos depois, "voltou a fazer-se uma serenata na Sé Velha sem microfones", comentavam, no final do espetáculo, alguns dos intérpretes, elogiando as condições acústicas do largo e sublinhando que faltaram "os microfones porque não houve tempo nem condições" para instalar ali equipamento sonoro.

A festa para assinalar a classificação da Universidade Alta e rua da Sofia como Património Mundial será na tarde de domingo, às 16:00, na Baixa da cidade, na Praça do Comércio, vulgarmente conhecida por Praça Velha, recordou, no final da serenata, o reitor João Gabriel Silva.

A UC foi classificada hoje pela UNESCO Património Mundial da Humanidade, tornando-se no 16.º local com esta classificação em Portugal.

O Comité do Património Mundial, reunido no Camboja, deliberou esta manhã que o bem "Universidade Coimbra, Alta e Sofia", proposto por Portugal, possuía inquestionável valor universal excecional e que merecia ser classificado como Património de toda a Humanidade, referiu o Ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE), em comunicado.

A candidatura a Património Mundial foi preparada pela UC, em parceria com a Câmara Municipal de Coimbra e outras entidades locais

A Universidade de Coimbra junta-se, assim, à lista de 15 locais já classificados pela UNESCO em Portugal, que inclui os centros históricos de Angra do Heroísmo, Évora, Porto e Guimarães.

Portugal tem como património mundial o Mosteiro da Batalha, Mosteiro de Alcobaça, o Mosteiro dos Jerónimos e a Torre de Belém, bem como o Convento de Cristo, em Tomar.

Na lista está ainda a Paisagem Natural de Sintra, os sítios pré-históricos de Arte Rupestre do Vale do Rio Côa e de Siega Verde, a Floresta Laurissilva da Madeira, o Alto Douro Vinhateiro, a Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico e a maior fortificação abaluartada do mundo, em Elvas, como património mundial da UNESCO.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG