Salários em atraso e despedimentos na Abraço

A drástica redução de donativos para a associação Abraço vai levar a despedimentos de funcionários, que já não receberam o ordenado de Março, e ao fecho de vários projectos na área da sida, revelou a sua presidente.

Segundo Margarida Martins, em 2010 os donativos baixaram para metade, tendo a organização perdido 160 mil euros. Este ano, ainda não entrou na associação um único donativo.

A repercussão directa desta diminuição de verbas é o atraso no pagamento de vencimentos aos 90 funcionários da instituição, que ainda não receberam o ordenado de Março, embora Margarida Martins garanta que "as coisas estão a arranjar-se".

A presidente da Abraço, organização fundada em 1992 para a prestação de serviços na área da sida, adiantou que ainda este mês deverão encerrar vários projectos de apoio indirecto, nomeadamente na área da prevenção e o gabinete dentário.

Margarida Martins garante, contudo, que os projectos de apoio directo - domiciliário ou às crianças - vão prosseguir.

Em dia estão, segundo a presidente da organização, as transferências das verbas dos ministérios da Saúde e da Solidariedade Social.

De acordo com o Plano de Actividades e Orçamento 2010, a associação teve 2.298.548 euros de proveitos e 2.298.495 euros de custos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG