RSI é para o Bloco "instrumento de política partidária", acusa o CDS

Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS, responde ao artigo de hoje no DN assinado por Pedro Filipe Soares, chefe da bancada bloquista.

"As palavras de Pedro Filipe Soares e do BE revelam má consciência porque o BE faz de uma prestação social um instrumento de política partidária", disse hoje ao DN o líder parlamentar do CDS, Nuno Magalhães.

Respondendo ao artigo que Pedro Filipe Soares hoje assinou no DN, intitulado "O ócio do CDS", Magalhães acrescenta que o BE "não percebe nem nunca percebeu a verdadeira natural do Rendimento Social de Inserção [RSI]", "confunde demagogia com exigência de rigor" e "prestações sociais com 'esmola'".

"Acima de tudo - disse ainda Magalhães - o CDS não recebe lições sobre defesa dos mais pobres de quem, como o BE, apoia um Governo que dá borlas fiscais à EDP que são o dobro do que o Orçamento do Estado destina ao RSI e aprova o artigo que faz com que haja cativações na Saúde que impedem cirurgias ou atrasam medicamentos para o SNS, que o BE tanto gosta de dizer decente".

No artigo no DN, Pedro Filipe Soares escreveu que "o CDS decidiu rasgar as vestes nos últimos dias com as alterações nas regras para a atribuição do rendimento social de inserção", num "número político" que, por ser "requentado", "não deixa de ser repugnante a cada reprise".

Para o líder parlamentar bloquista, o CDS está a "estigmatizar pobres para disputar votos de setores mais conservadores da sociedade" e isso "merece todo o repúdio".

"O CDS arquivou de vez o legado humanista da democracia cristã para abraçar o discurso populista da extrema-direita" e "a perseguição que o CDS faz aos mais pobres contrasta com a leveza com que geriu os buracos do sistema financeiro", escreveu ainda Pedro Filipe Soares: "O resgate do BES custou muito mais do que década e meia de RSI. Mas, enquanto Assunção Cristas assina decretos, de cruz e sem ler, para despejar dinheiro público em bancos, diaboliza os pobres e os instrumentos de combate à pobreza. O único subsídio à preguiça é o da paciência com que temos tolerado este discurso do CDS."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG