Rodrigo cabia numa mão quando nasceu

Rodrigo, que nasceu apenas com 24 semanas, completou um ano há dois dias. Ficou sem ver, teve de fazer uma cirurgia cardíaca e receber ventilação em casa. Mas ultrapassou tudo, já gatinha e põe-se de pé. Hoje é o dia dedicado à prematuridade.

A vida de um prematuro é um verdadeiro "campo de guerra". Há um ano que Luciana Oliveira acompanha o filho nessa batalha, depois de Rodrigo ter nascido muito antes do tempo, às 24 semanas. Dizem que é o limiar da sobrevivência, mas durante o parto os médicos que acompanharam Luciana nem esperavam que Rodrigo vivesse.

Leia mais pormenores no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG